TOP 10 da Gi - 2017

Demorou mas saiu!
Meus top 10 do ano de 2017... Que nunca são só 10! Difícil de escolher!

Os livros estão aqui em ordem de lembrança, não de preferência. Não consigo dizer qual meu preferido, são todos marcantes!

Eu amo livros que falam de livros!
AS COZINHEIRAS DE LIVROS de Margarida Botelho.
Imagina quando os livros começam a desaparecer das prateleiras por que as letras estão acabando?!!
Uma história muito bonita com colagens bem diferentes. Da Editora Paulinas.
Você pode ver o post completo, AQUI.

EXTRAORDINÁRIAS- MULHERES QUE REVOLUCIONARAM O BRASIL da Seguinte, o selo jovem da Cia das Letras. As autoras Duda Porto de Souza e Aryane Cararo trazem o perfil de 42 mulheres (!) da história e dos tempos atuais, que de suas maneiras fizeram a diferença no Brasil.
A linguagem é simples, leve e cheia de hiperlinks, como um glossário superinteressante explicando dados do contexto e referências por perfil, para ajudar os meninos e meninas a lerem sozinhos ou pra facilitar a leitura compartilhada com os pais (afinal, a gente não lembra de cada detalhe, não é mesmo?). Ainda inclui ilustrações muito bacanas das mulheres, feitas por mulheres, que dão vontade de fazer quadrinhos para deixar na escola ou na parede de casa mesmo.
Falamos deles AQUI e suuper recomendamos!

O QUE VOCÊ FAZ COM UMA IDEIA? de Kobi Yamada e ilustrações de Mae Besom, da Voozinho, selo infantil da Editora Voo.
 É um daqueles livros de encher os olhos (de beleza) e o coração de esperança.
O guri tem uma ideia, mas não dá bola, não sabe o que fazer com ela. Mas como toda ideia, ela gruda na cabeça e não o deixa em paz. No começo, ele não sabe se ela é realmente uma boa ideia, ou só uma ideiazinha, daquelas à toa. Mostra a ideia pras pessoas, que, claro, debocham dela. E ele quase acredita nessas pessoas e desiste da ideia. Mas sabe, quem conhece o valor daquela ideia é o guri, e de repente ele já sabe o que ele deve fazer com ela. Liiiindo!
Falamos dele AQUI

O MENINO QUE COMIA LAGARTOS, de Merce Lopez, SM edições.
É a história de um guri, Tikorô, que vivia pelas ruas e caçava lagartos pra comer, porém um dia encontrou um lagarto gigante albino que chorava. Ele tinha perdido todas as cores e estava muito triste. O guri ficou com pena e resolveu ajudá-lo. Levou-o pra falar com um sacerdote, para pedir ajuda e este explicou que as cores do animal e a alegria foram embora, como as lembranças, assim como aconteceu com o povo africano. Tikorô resolve ajudá-lo a recuperar sua cor e começa uma caminhada em busca dos símbolos, da cultura, da tradição, das máscaras, da música, da dança... A medida que vão lembrando, o lagarto vai recebendo da mãos dos sábios (de diversas tribos e regiões) a cor da terra, a cor da vida e morte, a cor da música. E como recompensa, o lagarto dá ao guri o dom de saber que não importa o que acontecer, ele sempre vai sorrir no final. Sempre vai ficar bem. Uma história liiinda que exalta a cultura africana. O texto é maravilhoso, com várias palavras em um dos dialetos de lá, e as ilustrações são um espetáculo a parte. Lindas, lindas, lindas!

Livro liiindo!  A VIDA SEM LÉO de Andrea Maturana e ilustrações de Francisco Javier Olea. Editora Rovelle.
A gente que vive se mudando de cidade, de estado, de escola e de prédio, fica bem emocionados ao ler este texto.
Léo é o melhor amigo de Bia, nunca se cansam de brincar. Um dia o pai dele explica aos dois que a família terá que morar em outro lugar. Bia fica com um vazio no lugar que antes era ocupado por Léo. A superação da ausência, a saudade retratada de forma lúdica e o amor que ultrapassa a distância.

JANE, A RAPOSA E EU, de Isabelle Arsenault e Fanny Britt, publicado pela editora WMF Martins Fontes. 
É a história de uma guria magra do quinto ano que sofre #bullying na escola. As gurias más a chamam de gorda, salsicha, almofada, fedida, entre outras coisas, e ela acredita em tudo que é dito (mesmo só pesando 40 kgs). Ela mora com a mãe e dois irmãos menores e o seu único refúgio são os livros, as histórias. A leitura de Jane Eyre, o primeiro romance de Charlotte Brontë, é seu refúgio contra as perseguições das colegas. As ilustrações vão ganhando vida e cor nas passagens onde a fantasia e alegria entram na vida da guria. Bem bonito. Recomendo.
Par ver um pouco mais do livro clique AQUI

A ROCHA de Jorge Luján e ilustrações lindas de Chiara Carrer, Editora Rovelle.
No fim da rua existe uma pedra pela qual você precisa passar, caso deseje sair da cidade. É bem simples: você caminha até a rocha, ela faz uma pergunta, se você acertar, pode passar. Quase todas crianças passam, mas tem sempre uma que não consegue responder. Mas existe um menino, que sempre responde a mesma coisa e nunca consegue passar. Ele fica com muita raiva, embravece, explode e fica muito triste. Ele não consegue responder outra coisa, por mais chances que a pedra lhe dê. O livro é, na minha opinião, uma metáfora sobre o crescimento... Para aquela fase que a criança é grande demais para ser criancinha, mas novo demais pra ser jovem ou adolescente. Aquela fase onde o faz de conta, não faz mais sentido. Tudo é literal e com um pingo de ironia. A mágica da infância parece que desaparece de uma hora pra outra, deixando pais e educadores sem chão.
Já falamos dele AQUI. 

LINA E O BALÃO da escritora e ilustradora japonesa Komako Sakai. Editora Pequena Zahar.
Uma criança ganha um balão de gás e ele se transforma num amigo. Brinca, conversa, enfeita... Uma fofura. Porém um vento forte leva o balão, que fica preso numa árvore. Que tristeza! A mãe não consegue pegá-lo. A guria fica desolada, tinha feito muitos planos pra brincar com seu companheiro. Uma história sensível sobre a descoberta da amizade e as alegrias e tristezas que este laço pode trazer. Falamos dele AQUI.

MARY POPPINS de P.L.Travers da editora Zahar.
Amoooo Mary Poppins (sonhava ser como ela, quando eu crescesse - já falei isto num post antigo, AQUI).
A Mary Poppins do livro é diferente da Mary Poppins da Disney. No livro ela é mais durona, mais autoritária e impositiva. Uma mulher direta que cuida das crianças e ao mesmo tempo está sempre colocando limites. Ela é mais seca, embora encante a todos. Faz coisas mágicas num minuto e no outro diz que é bobagem que aquilo nunca aconteceu. É intrigante e conta histórias fantásticas (no sentido de inacreditável). Ela cuida de 4 irmãos (e não só dois, como no filme) e são de uma família bem simples, humilde até (moram na menor e menos conservada casa da rua). 
A história é dividida em 12 capítulos com mais ou menos 10 páginas cada. 
A leitura flui. Divertida, mas ao mesmo tempo não conseguimos não fazer comparações com o filme da Disney. 
Há uma pequena biografia da autora e também uma palestra que ela escreveu intitulado: "Sobre não escrever para crianças." 
Eu adorei. E esta edição ainda vem comentada e com as ilustrações originais de Mary Shepard (filha do ilustrador que desenhou o Ursinho Pooh). 
Super recomendo. Ainda mais que este ano sai um novo filme da Mary Poppins. 
E esta personagem tem uma série própria de livros, não só este (que é o mais conhecido). Louca que a Zahar lance os outros livros!

UMA BOLOTA MOLENGA E FELIZ. Editora Seguinte.
Mostra o universo feminino naquele ponto onde você acaba de virar, oficialmente, uma adulta, com toda independência, MAS tem a parte da responsabilidade que pesa, além das espinhas, TPM, vida amorosa, falta de dinheiro, trabalho e amizades. Basicamente coisas do cotidiano, pelo ponto de vista da Sarah Andersen e de várias pessoas, com assuntos de vida social, ansiedade e a vida de meninas e mulheres, dias ruins, estresse e animais fofos. Falamos dele AQUI.

NINGUÉM VIRA ADULTO DE VERDADE da editora Seguinte e também da Sarah Andersen.
Ele é todo em tirinhas sobre uma moça de 25 anos que precisa crescer, mas não quer. É pra tweens, teens e Young Adults, mas a Ceci amaaaaaa! E o Cássio também. O livro aborda vários temas femininos como o cuidado com o corpo e as preocupações quando se é criança e como a gente muda (muitas vezes totalmente) quando crescemos. Fala de sentimentos comuns a todas as gurias.
Já falamos dele também AQUI.

AIMÓ: UMA VIAGEM PELO MUNDO DOS ORIXÁS, de Reginaldo Prandi, ilustrações de Rimon Guimarães. Editora Seguinte.
A guria acorda num lugar totalmente desconhecido onde você não conhece ninguém e ninguém demonstra saber quem você é. Nem você mesma sabe quem é. É o que acontece com uma menina nascida na África e levada para o Brasil para ser escrava, e que de repente acorda em um lugar estranho. Uma mulher passa e diz que ela é "Aimó omobinrin" palavras que numa língua de um povo africano quer dizer "menina esquecida". A guria escuta e pensa que seu nome é Aimó, então. Ela estava completamente sozinha... Aimó está no Orum -mundo espiritual - a morada dos deuses e espíritos dos mortos. Os mortos renascem na mesma família, mas para renascer não podiam ser esquecidos na Terra. A família precisa se lembrar dos mortos, os feitos notáveis devem ser constantemente relembrados, seus nomes invocados com orgulho, as lembranças mantidas vivas. Mas ninguém se lembrava de Aimó, que morreu ainda criança. Ela chora de tristeza, ficará presa no Orum pra sempre. Mas os orixás se compadecem e como cada pessoa descende de um orixá, eles vão se reunir para achar uma mãe para Aimó. Na verdade, ela vai conhecer , assim como o leitor, as diversas divindades e escolherá qual quer como mãe, para depois voltar para Aiê (Terra). Ficamos conhecendo, junto com Aimó, os orixás, suas histórias, seus temperamentos e gostos. Um livro lindo. No final ainda tem um glossário de Orixás e de palavras que o texto cita, de como funciona os oráculos de Ifá, como os búzios. Amei o livro.

HISTÓRIAS DE NINAR PARA GAROTAS REBELDES - 100 FÁBULAS SOBRE MULHERES EXTRAORDINÁRIAS de Elena Favilli e Francesca Cavallo, com diversas ilustradoras diferentes, da V&R Editoras.
Aquele tipo de livro MUSTA HAVE na sua biblioteca.
São textos curtos, podem ser lidos um por noite, ótimos para reunir a família e ter AQUELA conversa!
Além de fazer um resgate de mulheres sensacionais (que quase nunca aparecem em livros), também fala sobre também sobre gurias comuns que tiveram ideias maravilhosas para ajudarem o próximo. Recheado de bons exemplos de como ser forte, não desistir apesar do que dizem pra você e sempre lutar por aquilo que se acredita.
Falamos dele AQUI

GAROTA FORA DO JOGO - A CULTURA OCULTA DA AGRESSÃO DAS MENINAS de Rachel Simmons. Editora Rocco.

A autora sofreu bullying quando criança. Noites e noites chorando em função de uma guria que a atormentava e aquele sentimento de solidão apertava o peito. Anos depois, já na faculdade, um dia conversando com amigas, percebeu que todas tinham no passado, uma guria que as tinham atormentado também e todas achavam que aquilo só tinha acontecido com elas. 
Então a Rachel correu pra biblioteca esperando achar uma bibliografia extensa sobre o assunto, já que pelo visto muitas pessoas tinha passado por isso. Mas não encontrou nada. NADINHA! 
Chegou em casa e mandou um e-mail para algumas amigas e conhecidas com as seguintes perguntas: VOCÊ JÁ FOI ATORMENTADA OU PROVOCADA POR OUTRA MENINA? 
EXPLIQUE COMO FOI ISSO? QUE INFLUÊNCIA ISSO TEVE NA SUA VIDA ATÉ HOJE? 
 Ela conta que em 24 horas a caixa de mensagem dela estava lotada. Mulheres que ela nem conhecia tinha recebido o e-mail de amigas e diziam que ela ia ser a primeira pessoa a ouvir/ler a história completa. Centenas de mulheres havia sofrido bullying caladas "O silêncio está profundamente entremeado no tecido da experiência feminina." ela conta na página 11. 
 O livro mostra um estudo feito pela autora. Ela entrevistou dezenas de meninas de vários colégios e de diferentes classe sociais sobre como o bullying entre meninas é diferente do bullying praticado por meninos. Basicamente o bullying masculino é físico. Claro que não todos os casos, mas a maioria é agressão verbal e física. As meninas praticam um bullying velado, dissimulado, agressivo porém silencioso, maldoso, manipulador, psicológico, torturante. 
É um bullying de exclusão, fofocas, risinhos, apelidos e palavras maldosas para infringir sofrimento psicológico na guria que não gostam. Todas fingem serem super queridas e boazinhas então ficam acima de qualquer suspeita. 
 O livro é excelente. Suuuper recomendo a leitura.
Já apareceu AQUI antes também.

Este foi um dos 3 primeiros livros que li o ano passado. Coincidentemente os 3 falavam sobre pessoas com câncer, mesmo eu não sabendo que EU estava doente ainda. 

 SETE MINUTOS DEPOIS DA MEIA-NOITE de Patrick Ness, editora Novo Conceito.
Uma história triste sobre um guri que tem uma mãe que está morrendo de câncer, mas ele não quer admitir isso. Desde que ela começou o tratamento, ele começou a ter pesadelos. E pra piorar, uma árvore, que fica num cemitério atrás da casa dele, ganha vida e vira um monstro que vem assombrá-lo de noite, sempre no mesmo horário. O Monstro vem para contar histórias, histórias selvagens e espera que no final, Coner, o guri, possa contar uma também. Mas uma história verdadeira. Pra piorar ele vai ter que ir morar com a avó (super rígida), enquanto sua mãe tenta um novo tratamento no hospital, já que o pai foi embora para os Estados Unidos formar uma nova família. Tudo isso e muito mais, sobre os ombros de um pré-adolescente de 13 anos... entrando naquela fase de silêncios onde eles são grandes de mais para certas coisas e crianças demais para outras. Eu amei. Super mexeu comigo.


Bem, demorou, pois o post se auto apagou algumas vezes. =( Não desisti e aqui estão!
Podem ver o TOP 10 do Cássio, AQUI e o da Cecília, AQUI.

Logo teremos da Márcia, Sylvio, Cathe e kids.
Aguardem! 

Comentários

Veja também

Mostrar mais