Dicas para ententer crianças presas em casa
Programa Bebelendo -uma intervenção precoce de leitura, de Rita de Cássia Tussi e Tania M.K.Rösing, da Global editora. 

 É um livro importante para quem quer começar a trabalhar com leituras com bebês. 

Traz, num primeiro momentos, as principais teorias de desenvolvimento da criança, das capacidades dos bebês. 



Mostrando como a leitura afeta emocionalmente, intelectual e socialmente as crianças. Depois fala da promoção de leitura em si, da importância dos pais e cuidadores como primeiros mediadores de leitura. 

De como a promoção de leitura se faz com literatura. 




O livro analisa ainda 2 projetos de leitura para bebês: 1 em Londres e 2 no Rio Grande do Sul. Por fim, 

tem passo a passo como montar um programa de leitura na sua escola, biblioteca ou comunidade, com objetivos, plano de implementação, fichas de monitoramento e avaliação, 

modelos de planilhas de todos os passos, dicas de material e livros e até estimativa de quanto tudo isso deve custar. Importantíssimo para pais, professores, contadores de histórias, mediadores de leitura e qualquer pessoa que trabalhe com bebês. 

 Fico feliz de constatar que, mesmo eu não tendo toda essa base teórica, quando fiquei grávida das minhas kids, fiz exatamente tudo que o livro propõe.

 Lendo desde o instante que soube que estava grávida com 1 mês de gestação. E nunca mais parei. São 15 anos de historias! E como faz bem! Pra elas e pra mim. 

 Fica a dica!

Para comprar: https://amzn.to/2WXM4rH
Na Terra dos Livros, de Quint Buchholz, da editora Panda Books.

 Que livro! A começar pelo projeto gráfico e capa, que me lembrou o formato de livros antigos, coleções de livros antigos. Embora eu ache que este livro merecia ser do tamanho de uma folha A3, pra gente entrar dentro das ilustrações. 

 Você é que tipo de leitor? Usando uma linguagem visual metafórica, o autor leva o leitor apaixonado ao deleite. O que se encontra dentro de um livro? Um espelho de si mesmo? Um motivo para ser, de fato, você mesmo? Novos rumos? Coragem? O outro? Aquilo que não faria de jeito nenhum? Aquilo que sonho fazer e ainda não realizei? Meus medos? 

Minhas crenças ou outras crenças? Outras vidas? Tudo aquilo que amo? Tudo aquilo que torna a vida menos pesada e mais suportável? Empatia? Força? Razão de ser? Aquilo que não sei como definir, que não sei como colocar pra fora? A felicidade? A aventura que nunca vivi? Os mistérios que nunca descobri? Dentro do livro cabem mundos... 

Cabe ao leitor abrir um e descobrir onde aquela história irá levá-lo! Pois cada livro troca histórias com seu leitor de uma forma única e irrepetível.

 Bah! E que ilustrações tem este livro! Beleza define. 

Me lembra o surrealismo. Imagens reais com uma pitada de inesperado, de estranhamento, de mágico. 
Você olha, sente o estranhamento e precisa re-olhar.

Pra comprar: https://amzn.to/2Xwg6Y3
 Na pós do Vera Cruz que estou fazendo (clique AQUI para ver o post que fiz), temos aulas com diversos autores que estão em contato direto com o público e produzindo literatura de qualidade.

Tivemos uma alua muito bacana com o autor Maurício Negro e ele nos mostrou um livro seu que eu ainda não conhecia, mas que até já foi traduzido e exportado!

 GENTE DE COR COR DE GENTE, de Maurício Negro, da FTD.

 É um livro imagem.
De um lado um guri negro, supostamente "de cor" e do outro, um guri branco. Mas quem está toda hora mudando de cor?
 Se ficam com frio, quem muda de cor?

Se ficam sem graça, que muda de cor?

O livro inteiro é assim, uma ideia genial que ele teve ao ouvir uma guria negra falar para um guri "branco" que tinha ficado com vergonha: "Você que fica vermelho e eu que sou de cor?".

A partir daí ele fez dois retratos e foi variando o da direita. O leitor percebe o que os dois estão sentindo pelas expressões e cores do "branquelo". 

Mas será que os dois são tão diferentes assim?
Importa a cor?

O livro é genial.
Suuuper recomendo.

Para comprar: https://amzn.to/2RARDv9

Aqui é a Márcia e assistimos antecipadamente o novo filme Turma da Mônica: Laços, o mais aguardado deste ano. 

Neste dia 27 de junho ele chega nas telonas de todos os principais cinemas do país.

 A turminha mais querida do Brasil está a quase 60 anos presente nas bancas de revista, sempre encantando diferentes faixas etárias e garantindo ao público leitor a certeza de muitas aventuras.

Você também deve conhecer um adulto que tem boas recordações dos quadrinhos desde seu tempo de criança, ou, deve conhecer outro adulto como eu, que até hoje não dispensa um novo gibi com as divertidas histórias da Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali.



Recentemente, a Turma da Mônica passou a ser retratada pelos traços de diversos artistas independentes, em HQs. Um projeto idealizado pelo editor da Mauricio de Sousa Produções, com intenção de trazer quadrinistas brasileiros para contar histórias da Turma por suas próprias perspectivas. 

Em 2013, os cinco principais integrantes ganharam também a sua própria Graphic Novel: Turma da Mônica — Laços, foi escrita e desenhada pelos irmãos Lu Cafaggi e Vítor Cafaggi.  Esta é a história do nosso filme. 

Nela a aventura da trama começa quando Floquinho, o cachorro de Cebolinha, some, obrigando a turminha do limoeiro a bolar planos mirabolantes para recuperar o cachorrinho. E, se você quer saber se realmente o Floquinho aparece nas telonas da cor verde igual aos gibis, você acertou. Mas, não se preocupe, a equipe não fez o que você está pensando, eles não tingiram o pelo do animalzinho lindo é tão esperto. Todo efeito no cão foi computadorizado. Ficou incrível.
As férias estão aí, faltam praticamente 3 dias!

Vou dar uma dica, pras férias da família. Na Pós Livros (veja AQUI), na aula da Lenice Bueno, lemos o livro UMA IDEIA TODA AZUL, da Marina Colasanti, Global editora. 

Só que o livro, que é liiindo, mas curtinho, deixou o gosto de quero mais!!!

 E a @waniakarolis, nos mostrou o livro MARINA COLASANTI- MAIS DE 100 HISTÓRIAS MARAVILHOSAS, também da Global editora. Pois, claro que eu quis o livro! 

O livro reúne todos os contos maravilhosos (de fada), da Marina.
 Linguagem poética na escrita e nas ilustrações (da própria Marina Colasanti!). 

Num tempo antigo, onde tudo podia acontecer, uma doceira perde, sem perceber, a mão esquerda, dentro da massa do pão;
uma moça troca de lugar com uma boneca de cera e ninguém percebe; uma moça acorda sem reflexo no espelho; um cavalo é virado de dentro pra fora; um rei tranca uma ideia maravilhosa num quarto, pra ninguém descobri-la; o Tempo está cansado de levar o mundo nas costas; uma princesa triste ganha uma barba cacheada; um bordado lindo vira uma prisão;

um homem recebe um chamado num sonho;

 uma sombra de árvore fica magoada e foge;

uma moça tece para si, um marido;

um rei deseja uma criatura metade cervo e metade mulher; 

 ... Centenas de contos de fada maravilhosos esperam o leitor!

São mais de 3 décadas de histórias! São 9 livros reeditados e mais um inédito, todos juntos nesta belíssima edição.

E tem "Plus a mais!" Hehehe.

 Escrito por uma mulher, são contos de fada que não se passam no Brasil (pois são atemporais), mas totalmente brasileiros! Literatura nacional, para todas as idades, do mais alto nível!

 Sua família merece ouvir, ler e se encantar com estas histórias!

 As férias estão chegando! Vamos ler juntos?

Pra comprar em promoção: https://amzn.to/2Fv27Hw
Semana passada estive na casa de uns amigos que têm kids pequenas.

 Minha primeira pergunta é sempre: Qual seu livro favorito (do momento)? Lá fui eu pra estante delas, estrategicamente colocada onde ela, Laura,(e eu) pode alcançar todos os livros facilmente, e de lá separou alguns pra ler pra mim. 

O primeiro que escolheu foi BIA E O ELEFANTE, da Carolina Moreyra e do Odilon Moraes, colorido pelo Maurício Paraguassú, da Jujuba editora , que ela recebeu pelo clube de assinatura Leiturinha, agora, em 2019. Mas a editora me informou que será lançado para o grande público no segundo semestre de 2019. 

 Um livro cartonado, que conta a história de dois amigos que vivem juntos: a Bia, que é uma coelha e o Elefante (que é um elefante😂). 

A Bia ama acordar cedo e pular por aí, o Elefante, já não quer nem sair da cama. Ela fica triste ao sair do parquinho, ele ama chegar em casa. Ele come tudo no prato e sai da mesa depressa. Ela nem toca na comida e fica só, na mesa. 

 A história mostra a rotina de dois amigos que compartilham e convivem, embora nem sempre sentem a mesma coisa, fazendo a mesma atividade, mas nem por isso, deixam de ser super amigos. 
Fala de diferenças, contrastes,  

 Um livro cartonado brasileiro, fofo, delicado e cheio de sutilezas. 
 Amei. Já quero pra mim também!
Para ver a primeira parte do post, clique (AQUI).

Achei que já tivesse feito o post da fantasia toda.

Mas não. Não tinha feito da parte de cima. Vamos lá!

Comecei fazendo o "tecido" de papel contact transparente e um livro velho e comprei num sebo pra isso.
Estendi o contact com a parte que cola pra cima e fui colocando as folhas que eu achava mais bonitas. Lembrando que você está vendo o verso do tecido. Tem que procurar colocar as folhas mais bonitas viradas pra cola do papel contact. 

 Depois peguei um top meu que eu gostava. E fiz os moldes com o papel que tirava do papel contact que eu estava usando.

No final ficou assim, meu molde.
Todas as peças eu fiz um pouco maiores que a do original, lembrando que o meu "tecido" vai ser mais duro e grosso, vai precisa de mais espaço pra costura.
A peça número 1 é a mais larga, uma vai sobrepor a outra e fecharei o top com velcro.

Desenhei as peças na parte das folhas do livro, não no lado do papel contact.

 Uma foto mais de pertinho pra vocês verem como ficou. Lembrando de deixar ainda 1 cm de margem depois do contorno em preto. 

Montei todo conjunto do avesso e com fita adesiva. Não usei alfinetes como fiz com a outra peça. Assim as costuras já ficaram mais reforçadas. 

 Fui pra máquina de costura.

Pedi pra Ceci marcar onde as peças número 1 se cruzavam, pra ficar bem justo ao corpo. Puxei um pouco pra cima, na foto, pra vocês verem que a de baixo ficou quase um palmo (da minha mão que é pequena), pra dentro. Cortei o excesso, meio palmo, mas não muito.

Costurei o velcro na máquina também. A parte dos ganchinhos costurei na peça número 1 de baixo, na parte do papel contact. A parte fofinha do velcro costurei na peça número 1 de cima, na parte das folhas do livro. Pra caso entrar em contato com minha pele, não me machuque ou arranhe. 

Ah! dobrei toda as pontas pra dentro e costurei. Lembra que o papel pode cortar, e na hora de pular o carnaval, não posso estar afiada! Hehehe, preciso de conforto.

Como sobrou um pedaço do "tecido" de contact, fiz uma asa de borboleta/livro e costurei nas costas.

 Pro cabelo: recortei retângulos e dobrei ao meio. Rasguei pétalas de folhas, com as mãos mesmos e colei tudo com cola quente.
Depois colei o arranjo numa tiara preta. 

Ah! Ainda achei uma imagem de um bonequinho lendo e cortei em forma de distintivo. Passei papel contact transparente e colei na frente da roupa.

Deu um trabalhão... E advinha! Choveu no carnaval. Não usei a fantasia...

Quem fizer me marca!