Dicas para ententer crianças presas em casa
Todo mundo gosta de uma boa história! Entre os muitos benefícios de se ler em conjunto, destaco: é um tempo de aproximação, de carinho, chamego, segurança e conforto que acalmas as crianças antes de dormir. Não vou nem falar na parte de aprendizagem (de vocabulário, de interpretação de imagem e de texto, de dicção e oratória que as crianças vão aprendendo com os pais - Pronto! Falei um pouco)!
Ler antes de dormir, diverte e acalma ao mesmo tempo... garantindo um sono mais tranquilo para a criança.
Esta lista é baseada nos livros que li para meus kids, nos livros que minhas amigas leram para seus kids e também os últimos lançamentos (fofos) que tenho visto nas livrarias! Não estão em nenhuma ordem de preferência, fui lembrando e escrevendo pra vocês. 
Lembrando que só vou indicar livros que já lemos (Aqui no blog nossas indicações são de produtos que nós testamos mesmo!).

HORA DE DORMIR, CARNEIRINHOS TRAVESSOS! de Alison Ritchie. Ciranda Cultural. 
Sinopse: Sem sono, Gabi tentava dormir deitada em sua cama macia. Então, decidiu contar carneirinhos para ver se assim adormecia. Mas os carneirinhos travessos tinham outros planos. Eles estavam ocupados demais para serem contados. Logo, deixaram Gabi exausta com todas aquelas aventuras loucas. Que carneirinhos doidos! Será que eles vão deixar Gabi dormir? 
As ilustrações são lindas e texto rimado. Bem divertido.
A ORQUESTRA DA LUA de Jens Rassmus (ilustração e texto), editora: Companhia das Letrinhas.
Para ler mais sobre o livro, clique AQUI
Sinopse: Uma história surreal sobre uma menina que é mandada para cama, mas ao plantar bananeira acaba caindo no teto e a partir daí coisa incríveis acontecem. Um livro que precisa estar constantemente girando, para acompanhar o texto. As crianças adoram.

TODO MUNDO BOCEJA de Anita Bijsterbosch. Da editora Brinque-Book, coleção Brinque-Book na Mochila.
Fooofo!!! O que todos animais fazem quando sentem sono? Será que até você?
Para ver como brincamos com o livro, clique AQUI.
O REI RONCADOR ilustrações de MARTINA SCHREINER. Editora: 8Inverso. 
Sinopse: Um Rei que ronca tanto que deixa a rainha brava. O que será que ele pode fazer?
Para ver um post com brincadeiras sobre ele, clique AQUI
 JÁ PRA CAMA, MONSTRINHO! de Mario Ramos. Editora: Berlendis & Vertecchia. 
Sinopse: É a história de um menino que está naquela fase que ele não aceita ser ele mesmo e é um personagem, no caso um Monstro. E não quer dormir de jeito nenhum: inventa mil desculpas, enrolando o pai, que já perdeu a paciência faz muiiiito tempo! 
Para ver mais sobre ele clique AQUI.
 
I NEED MY MONSTER, texto de AMANDA NOLL e ilustrações de HOWARD McWILLIAM. Editora: Flash Light.
Sinopse: O menino vê um recado que diz que o mosntro que mora em baixo da cama foi pescar. Agora ele não consegue dormir, pois precisa saber que, se ele levantar, pode ser devorado e comido por um monstro que baba, rosna e arranha! Um novo jeito de pensar sobre monstros. Adorei. 
Para ver mais do livro e como brincamos com ele, clique AQUI.



Primeiro livro que comprei pro Cássio quando decidimos o nome dele foi o
CÁSSIO E O MONSTRO DA NOITE. de Martyna Skibińska e ilustrações de Anna Niemierko. Editora Biruta. 
Sinopse: Cássio acorda no meio da noite ouvindo um ruído estranho. GRRRRRRRRR , GRRRRRR .... Animado e corajoso, corre para pegar o monstro. Como será o Monstro da Noite que aparece quando Cássio quer dormir? Você acha que Cássio conseguirá pegar o monstro? Será que o monstro existe?
Ganhou vários prêmios. E nós adoramos. Indicado para crianças a partir de 5 anos, mas nós lemos beeem antes pro nosso Cássio.

DEZ BEIJINHOS. Editora: Ciranda Cultural.
Sinopse: Neste livro, o leitor poderá aprender a contar juntando-se aos filhotes da fazenda enquanto eles recebem, um por um, os pequenos beijos deste livro. 
Muito carinhoso.

A CAMA MÁGICA de DENISE KRACOCHANSKY e ilustrado por RUBENS LIMA. 
Para ler e ver como brincamos com o livro, clique AQUI.

CARNEIRINHO, CARNEIRÃO de Marie-Helene Gregoire. Editora: Salamandra.
Sinopse: É como dormir numa nuvem macia. Em forma de carneirinho, este livro-travesseiro é o melhor companheiro para a hora de dormir. Depois de ouvir a história dos amigos Lolly e Poly, a criança vai adormecer e sonhar doces sonhos, embalados pela maciez do seu amigo carneirinho. O livro-travesseiro é lavável, impresso com tinta não-tóxica e acondicionado em embalagem lacrada. Indicados para crianças a partir de 12 meses. 

VOCÊ NÃO CONSEGUE DORMIR, URSINHO?  de Martin Waddell e ilustrações de Barbara Firth. Editora: Brinque-book.
Sinopse: Assim como muitas crianças, Ursinho tem medo do escuro. Quando chega a hora de dormir, ele não consegue pegar no sono - nem com o maior lampião de todos aceso ao seu lado. Mas, felizmente, Papai Urso acha uma maneira original de tranquilizá-lo. Fofo.
NÃO VOU DORMIR de Christiane Gribel e ilustrações de Orlando. Editora: Global. 
Sinopse: No livro 'Não Vou Dormir,' a linguagem visual, predominante na história desencadeia uma potencialidade de sentidos que, em harmonia com o texto de Christiane Gribel, desperta a atenção da criança para os recursos expressivos tanto da linguagem verbal como da linguagem não-verbal. A leitura dessa histórias, que trata de uma situação tão próxima do cotidiano infantil, resistir ao sono, não querer ir para cama, não querer dormir, pode contribuir também para uma reflexão sobre a resistência da criança em respeitar os seus próprios limites e aqueles impostos pelos pais.  
Muito bom.
A CASA SONOLENTA de Audrey Wood e ilustrações de Don Wood. Editora: Ática.
Numa casa sonolenta, com uma cama aconchegante, todos estão sempre dormindo. As repetições no texto dão o tom sonolento, que é interrompido por uma pulguinha acordada.
Muiiito divertido.
CONVERSA PARA PAI DORMIR de Ilan Brenman e ilsutrações de Guilherme Karsten. Editora: Brinque-Book.
Para ver mais sobre esse livros clique AQUI.

HORA DE DORMIR de Leslie McGuire e Jean Pidgeon. Editora: Salamandra. 
Sinopse: Este livro-brinquedo é o companheiro ideal para a hora de dormir. Ao ajudar o porquinho a tomar banho, a tartaruga a guardar seus brinquedos, o urso a escovar os dentes, a criança vai descobrir que a hora de dormir pode ser muito divertida. Cheio de abas. Muito legal. As crianças pequenas adoram. Recomendado para maiores de 1 ano.
VIVIANA - RAINHA DO PIJAMA de Steve Webb e ilustrações de Luciano Vieira Machado. Editora: Salamandra. 
Sinopse: Viviana adora animais e se pergunta o que eles vestem quando vão dormir. Então, ela os convida para a FESTA MUNDIAL DO PIJAMA! Com um texto divertido e abas simples, que revelam o pijama maluco de cada animal, este livro é uma alegria para a hora de dormir. 

NÃO VOU DORMIR! de Kayt Manson (texto e ilustrações). Editora: Salamandra. Sinopse: Um menininho não quer dormir, pois está ocupado demais, brincando com os amigos. Mas, à medida que vai pondo cada um deles na cama quentinha, bem, aí a coisa fica mais divertida! Um livro para convencer até os mais resistentes a cair no sono. Cartonado e com capa acolchoada e bordas arredondadas.Para crianças bem pequenas. É muito fofo!
EU NÃO QUERO DORMIR AGORA! - Col. Charlie e Lola de Lauren Child. Editora: Ática. 
Sinopse: Charlie tem uma irmãzinha, a Lola. Às vezes, ele tem que pôr ela para dormir. Mas como é difícil! Lola adora ficar acordada até tarde, colorindo, rabiscando, colando, balançando, pulando e, mais que tudo, tagarelando. Quando Charlie diz: 'Lola, a Mamãe falou que é hora de ir para a cama', ela responde: 'Não! Eu não estou com sono e não vou para a cama'. Só mesmo um irmão paciente como o Charlie poderia fazer leitinho cor-de-rosa para três tigres, telefonar para cachorros dançarinos, mandar uma baleia descer pelo ralo e aturar um hipopótamo em sua cama. Tudo isso só para convencer Lola de que já é hora de dormir. 
Adooooro essa dupla de irmãos.  

Aguardem o próximo post! Tive que dividir em 2 por que descobri que tenho muiiiiiiiiiiiitos livros sobre o tema. :)
 O que é capaz de acabar com uma guerra: O AMOR ou O PODER?
 Ontem fomos no Cinemark do Pier 21, aqui de Brasília, para a Cabine de Imprensa do filme 
THE LAST - NARUTO The Movie. Lançamento nacional dia 28 MAIO de 2015.

Confesso que conhecia o Naruto de nome, claro... mas nunca fui a fundo na história. Por outro lado, as crianças tiveram e devoraram os HQs, assistiram os animes e jogaram o videogame da saga. Elas chegaram animadíssimas ao cinema me contando sobre os outros personagens e muitos outros detalhes, e ao longo do filme me diziam: -"Viu!? Não te falei? - "Te falei!"  -"Olha, te falei!".

O filme é para crianças e fãs acima de 10 anos. Levei a Cecília (que se encaixa na segunda categoria) e ela gostou bastante. A  quantidade de violência do filme é igual a um jogo videogame de luta. Nem de longe a quantidade que se vê nas novelas da TV (Não vemos TV aberta - deixo aqui registrado antes de começarem os protestos), as mães podem ficar tranquilas. E a Cecília, que não é acostumada a jogos de luta, dormiu tranquilamente, sem pesadelos de noite, após assistir ao filme. 

Embora o filme seja de ação:
A lua está começando a cair (há chuvas de meteoros, cada vez maiores,  caindo) e logo, logo, está condenada a cair sobre a Terra. A contagem regressiva para o fim do planeta começa. Entre os problemas que se acumulam, irmã mais nova de 


Hinata, Hanabi, é capturado pelo inimigo misterioso, 

Toneri Ōtsutsuki. Mas ele na verdade queria a Hinata. 
 Naruto tem que lutar e superar grandes perigos em sua missão para salvar Hanabi, junto com Hinata, 

Sai, 


Shikamaru e 


Sakura. 
Para no final perceber o que e quem ele deve proteger realmente. E só assim, Naruto embarca em sua história final. 
Muita luta. Muitas vezes num ritmo louco de videogame, outras vezes, com muitos silêncios e pausas (que me lembram dos filmes dos anos 80) deixa a gurizada ligadona na tela.

Há também é um romance:
Com muitos olhares, suspiros e pronuncia dos nomes: Hinata e Naruto. 
A Cecília ficava me abraçando e suspirando nas partes mais românticas.

Recomendamos.
Para ver a resenha do Cássio, Clique AQUI

Dica: Não saia do cinema até terminarem todos os créditos.
Assim que as luzes foram acessas o Cássio se levantou e começou a sair do cinema. Eu o puxei de volta. :) Íamos perder parte da história do Naruto! Fique até parar de subir as letrinhas! 

 Estreia nacional dia 28 MAIO.

Fiz o post bem ilustrado para as mães que não conhecem bem a história se situarem. ;)
E para saber mais siga a Play Arte nas redes sociais! :)
Duração: 112 Minutos.
Legendado e Dublado.

Não canso de dizer que sou apaixonada pelos produtos da marca francesa Mustela, experimentei no baby esta semana o Bálsamo Hidratante Stelatopia e vim contar pra vocês.

Como me informei muito durante a gestação (meses de repouso sem sair de casa, tinha que ter alguma vantagem) descobri que a pele do recem nascido tem necessidades específicas que vão além do sabonete suave. Mais adiante vou escrever sobre os cuidados que tive com o Lucas desde o parto. A pele deles é super sensível a agressões, apresenta Crosta Láctea e pode desenvolver dermatite atópica.
Traduzindo, eles tem as chamadas brotoejas, vermelhões e descamações. Tudo isso incomoda e coça. O pediatra vai dizer que é normal, que vai passar, mas nós ficamos angustiadas com a situação. Para ajudar, no banho uso um dermolavante que não é agressivo nem retira a proteção natural, só que com o frio e o ressecamento pelo ar condicionado não estava sendo suficiente. As meninas da Mustela recomendaram o Stelatopia, (sem corante, perfume nem parabenos).

Minhas considerações:
Como dá pra ver nessa perninha fofa, ele tem uma textura bem consistente.

Espalha fácil e por ser mais oleoso é perfeito para uma massagem relaxante depois do banho e para fazer Shantala.


A pele fica com uma camada protetora, dá pra ver o brilho no pezinho:

Por ter vários óleos na composição (ameixa e destilado de girassol) ele não apenas hidrata mas também nutre, incentivando a produção natural de lipídios. Nas dobrinhas que estavam ficando ressecadas já deu pra perceber a diferença na primeira aplicação.

Além do Bálsamo tem outros produtos da mesma linha:
Stelatopia Creme Emoliente, o Cleasing de Limpeza diária (super curiosa com este, assim que experimentar conto pra vocês), Reparador Purificante e o Stelaker Querato regulador (específico para eliminar a Crosta Láctea).





www.mustela.com.br (dá pra acessar mais as informações em português aqui)



Mês Passado lemos 2 livros sobre os indígenas no Brasil:
 
1. ALDEIAS, PALAVRAS E MUNDO INDÍGENA de Valéria Macedo e ilustrações de Mariana Massarani. Editora: Companhia das Letrinhas.
Um livro com pouco texto, para crianças pequenas, sobre algumas aldeias indígenas do Brasil. As ilustrações são bem divertidas. Ótimo para crianças em fase de alfabetização. Há um pequeno parágrafo sobre cada tribo e depois algumas palavras no idioma da tribo e em português. Tudo bem ilustrado.

Sinopse:
Yano, Ëjcre, Üne, Oo — por incrível que pareça, essas quatro palavras significam a mesma coisa. Representam, na língua de quatro povos indígenas diferentes (os Yanomami, os Krahô, os Kuikuro e os Guarani Mbya), o vocábulo CASA. Através delas e de muitas outras palavras, neste livro o leitor é convidado a conhecer um pouco da vida e dos costumes desses grupos: onde moram, como se enfeitam, suas festas, sua língua. 
 2. ROTEIROS VISUAIS NO BRASIL: ARTES INDÍGENAS - Vol. 1 de Alberto Martins e Glória Kok. Editora: Claro Enigma.
 Livro para crianças maiores e teens. Como identificar e olhar a arte produzida pelos povos indígenas do Brasil. Recheado de fotografias que mostram a evolução (não no sentido de melhorar, mas sim de desenvolvimento) das produções indígenas: na pintura rupestre, na pintura corporal, na cestaria, cerâmica, vestuária, moradia e do instrumentos musicais. 
Como a convivência com os homens brancos mudam alguns conceitos das tribos. Por exemplo, na foto (acima) ao lado da página azul, vemos uma índia numa rede. Ela usa um colar feito a partir de cartuchos de balas descartadas/usadas. Descontextualizado as balas e cartuchos viram enfeites, tornam-se arte.  
Adoramos a parte sobre pintura corporal, que fala por que pintam, como é a preparação dos pigmentos e dos desenhos que eles fazem.

Sinopse:
A Coleção Roteiros Visuais no Brasil foi idealizada para preencher uma importante lacuna da bibliografia sobre as artes visuais para o público jovem. Segundo os autores, os títulos serviriam para “ajudar a ler os sinais da obra de arte - e, ao mesmo tempo, a relacionar esses sinais às manifestações artísticas a que pertencem”. 

A coleção procurará sempre abordar trabalhos e acervos disponíveis à visitação pública no país, de modo a estimular a insubstituível experiência do contato direto com o objeto de arte. O volume inaugural da coleção, Artes indígenas, viaja até as origens mais primordiais da arte produzida no Brasil, ou seja, as manifestações artísticas dos povos pré-cabralinos e das etnias nativas conhecidas pelos nomes genéricos de “índios” ou “indígenas”. 

Glória Kok, historiadora e arqueóloga, e Alberto Martins, escritor e artista visual, reconstituem neste guia ilustrado a história e a cultura das populações originais do país por meio de sua produção estética. Ainda segundo os autores, que se amparam em vasta bibliografia especializada, os principais movimentos migratórios da longa história do povoamento do continente americano são a chave para explicar as semelhanças e os contrastes entre as visões de mundo de povos tão distintos como os Yanomami, os Kayapó e os Timbira, ao mesmo tempo unidos pela ancestralidade comum e segregados pelo cerco da civilização moderna.  

E assim que terminamos a Cecília precisou fazer um trabalho sobre reciclagem para a escola.
Ela queria fazer alguma coisa parecida com o que tínhamos acabado de ler. E assim como os índios, acabamos adaptado o trabalho, misturando coisas do nosso dia a dia com o que aprendemos nos livros sobre os indígenas. 
Eis o que fizemos:

Fomos pesquisar os diferentes solos que existem ao redor da nossa casa. E escolhemos um para esse trabalho. O escolhido foi o mais avermelhado. Enchemos um pote de sorvete (1,5L) com ele. Levamos pra casa.
Depois pegamos as prova que as crianças fizeram, mais os envelopes pardos dos livros que recebemos e cortamos em pedacinhos. Depois cobrimos com água. Deixamos assim por alguns dias. Colocamos tudo no liquidificador para ser triturado. Coamos. Ficou uma massa. Nela misturamos cola Cascorez do rótulo azul (que tem bem menos água) e parte da terra. Cecília misturou tudo até formar uma massa homogênea.

Em seguida plastificamos (com papel filme) um pote de plástico. Com as mãos, 
a Cecília foi moldando um pote com a massa que ela fez. Deixamos secar bem (por alguns dias).
Quando secou, desenformamos (ela fez vários pequenos também, em xícaras e píres). Com uma tesoura cortou os excessos, até ficar com a forma que ela queria.

Voltamos aos livros e lá lemos sobre pigmentos, texturas, linhas e pinturas. E assim ela escolheu as cores e a padronagem. 
Prontinho! Fácil e lindo. Foi a coisa mais diferente que levaram pra aula! :) Ela ficou tremendamente feliz com o resultado! :)
Gostaram?
Esse post foi escrito em 2013 e desapareceu da TL do blog, então estou postando novamente. Já que algumas mães me pediram dicas de apps de música para os filhos.

Estamos aos poucos explorando o universo do Ipad e suas possibilidades. 

Por enquanto estamos brincando só com Apps GRATUITOS (mãe pão dura?!?! kkk). Encontramos o BEBOPS e estamos ADORANDO! Meus filhos (família inteira) adora música, então, esse app caiu como uma luva pra gente! 
 No começo há um faxineiro limpando o palco. 

Mas é só você clicar... ...numa imagem que a música acontece! 

São 10 estilos musicais no total: new jazz, animais, fantasia,monstros, rock, robots, homens das cavernas, samba, hiphop e reggae. São dois músicos gratuitos em cada estilo, mas você poderá comprar 2 pacotes de extensão para liberar todos os sons. Nós brincamos apenas com a versão gratuita. Basta escolher o estilo de música e arrastar um dos músicos para o palco. Você pode colocá-lo onde quiser. 

Clique nele para mudar um pouco o jeito de cantar/tocar. 

video
  Cecília gravou e criou essa música. 

Garantia de risadas e diversão! São muito engraçadinhos! E o legal, como vocês podem ver nas minha imagens, é que NÃO HÁ PROPAGANDAS (mesmo na versão gratuita)! :)

 E você pode gravar o que fizer com seus músicos! \o/ Super curtimos!
Ah! E depois me conta se seu filho também gostou! 
Estamos brincando com esse app desde 2013. Faça sua banda e divirta-se!
 Recebemos, dias atrás, um code do jogo para explorar tudo, desbloqueando outros personagens. Mas fizemos a resenha antes do code, no modo gratuito, para mostrar que é possível brincar sem comprar nada.