Dicas para ententer crianças presas em casa

Recebemos da nossa parceira Dedeka um pijama lindo da Coleção Outono/Inverno 2017.  Da linha Primeiros Passos, Dog Cinema de moletinho, mas o Lucas chama de "o pijama do uau uau". Super fofinho, com moletom apeluciado por dentro, dá vontade de nem tirar pela manhã. Pedimos tamanho 3, um pouco maior, porque sabemos que vai durar até o ano que vem, por falar nisso veio uma etiqueta junto com ele que sugere que as roupas sejam passadas adiante, já que tem alta durabilidade (aqui vão pro primo). Achei linda a iniciativa, Dedeka se preocupando com o futuro e a sustentabilidade.

Sorria para a mamãe, Lucas! (Saiu essa careta preparada rs)
Com o livro This is not a book
Chega de fotos, vou pra minha caminha

E não deixem de conferir lá no site, é semana de super descontos, até 50% no site da Dedeka

Um outro país para Azzi, texto e imagens de Sarah Garland, editora Pulo do Gato. 
A capa já toca o leitor, gerando angústia, preocupação pelo que acontecerá com a protagonista durante o desenrolar da história.



De forma dramática, porém leve, a autora nos conta a saída da menina do seu país após o estouro dos conflitos, com poucos pertences e deixando seu bem mais precioso para trás, a avó.

Todas as dificuldades sentidas no país que a recebe, os costumes, a nova escola, a comunicação, superadas passo a passo para nos ajudar a sentir o que ela sentiu, nos ensinar a empatia.



Além de acompanhar os passos da menina, o livro nos oferece uma delicada metáfora a partir dos feijões que o pai trouxe de seu país.

A história é contada em quadrinhos, com bastante branco e cores vivas, amentando o clima de esperança que o livro evoca.
Necessário e essencial até, para falar sobre fronteiras, conflitos e mostrar aos pequenos que a humanidade é uma só.

Nesse dia de frio, nada melhor do que uma caixinha mágica cheia de brincadeiras, criatividade e diversão! assim é o @boxjoanninha - Brincadeiras ao redor do mundo!
 
 
O @boxjoanninha é um box de assinatura em que recebemos em casa, todo mês, uma caixinha diferente, sempre proporcionando o brincar em família. Sempre atividades diferentes, bastante lúdicas, muito criativas, todas acompanhadas com todos os materiais necessários para fazer acontecer a diversão na nossa casa.
 
 
Edição comemorativa dos 4 anos de vida do BoxJoanninha , desta vez uma parceria super especial com a @heringkidsoficial . Sylvio amou executar cada etapa das 4 atividades: siga o caminho, caça-palavras, encaixe e, jogo dos erros, na revista Coquetel Passatempos - Brincadeiras para todo Mundo! Nesta edição comemorativa dos 4 anos de vida do BoxJoanninha, existe uma parceria super especial com a Hering Kids.
 
Todos os meses nos surpreendemos com a diversidade e criatividade das atividades que chegam no BoxJoanninha. Desta vez, a proposta são BRINCADEIRAS PARA TODO MUNDO, em que toda a família vai construir 3 brincadeiras:
1️Construção do globo terrestre
2️Lince com bandeiras dos países
3️Personagens ao redor do mundo
 
 
Todo o matéria a ser utilizado na atividade, vem completinho no Box, acompanhado por um manual de instruções.
 
 
Na medida que as atividades foram chegando, observamos visivelmente, a cada mês, a satisfação de nosso filho, por constatar que se tratava sempre de uma entrega pelo correio de um BOX que propõe uma atividade infantil, tão rica e diversificada, possível de ser também acompanhada por um adulto. Está aqui a grande questão, o BOX enriqueceu nossa convivência familiar, e uniu ainda mais nossa família. Os muitos momentos de realização das atividades do BOX, assegura a criança uma satisfação enorme, por construir algo tão especial, dedicando momentos únicos, de total entrega entre ela, e sua família.
Vale a pena conferir, todos conhecerem de perto o @BoxJoanninha
 
Recebemos o livro da Marilda Castanha: SEM FIM. Ele foi publicado pela editora Positivo.

 Qual a relação entre homem e natureza? Você acha que tudo que o homem faz, a natureza pode copiar? Tudo que o homem faz, a natureza copia? O homem pode ser infinito? E a natureza?

 Aqui, nessa história sem texto, vemos um jogo de espelho, de brincadeira tipo mímica.

Tudo que o homem faz, a árvore copia.

O homem segura um guarda chuva...

A árvore amiga faz igualzinho.


O homem fica sem chapéu devido ao vento...

A árvore fica sem as folhas.

Mas depois da brincadeira , o homem tem uma missão nada agradável. O que será que o hoeme tem dentro da caixa amarela misteriosa?
Será que a árvore vai conseguir viver até o final do Livro, pelo menos? Eu Amo livro imagens. Cada um vem com sua bagagem, pra contar a sua versão do que está vendo.

Soubemos agora que a ilustradora Marilda Castanha representa o Brasil, este ano, no Nami Concours, concurso que premia os maiores expoentes dos picture books - livros de imagens - do mundo, realizado na Coreia do Sul. o SEM FIMA é o único representante do Brasil selecionado para o evento, cuja exposição dos livros premiados abriu na primeira semana de maio e prossegue até a próxima edição.

O livro concorreu com outros 1.777 artistas de 89 nações. Ele ficou entre os 150 selecionados de 43 países e ainda integra o catálogo que marca a terceira edição do evento. A mostra será na Ilha de Nami (que fica mais ou menos a uma hora da capital sul coreana, Seul) e é um destino ecológico e cultural do país.

O mais legal é que SEM FIM fará parte da exposição da bienal internacional que integra o concurso: o Nambook Festival. legal por que as ilustrações premiadas são transformadas em ambientes interativos nas salas (QUE MÁXIMO!), cabines e corredores da Biblioteca de Nami. Queria tanto ir ver como vão transformar o livro! Achei suuuper mesmo! Parabéns! Prêmio super merecido.

E mais, tem LANÇAMENTO: De 21 a 28 de junho de 2017, a Editora Positivo participa do 19º Salão da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) para Crianças e Jovens e terá uma conversa com a ilustradora Marilda Castanha, autora do livro. Esse encontro, que também marca o lançamento do livro no Brasil, acontecerá às 15 horas do dia 27, no espaço Biblioteca FNLIJ Criança.   
Nós estamos amando essa coleção da Companhia das Letrinhas, onde grandes ilustradores nacionais estão refazendo histórias clássicas, interpretando a turma da Mônica. 

Essa história foi publicada originalmente me 1982. 

E é o terceiro livro da coleção.
Desta vez é a Rosinha que faz um Chico Bento, que está crescendo. Formas grandes, cores fortes, traço colorido e marcante, cabeçudo. Assim é o Chico de Rosinha.

Chico Bento resolve passear na gruta (ou caverna - será que existe de verdade?) que sempre gosta de ir no seu aniversário. Porém desta vez está mais difícil de chegar ( e vai ser mais ainda partir). 

 Lá, neste lugar especial e só seu, ele reencontra os avós (que já partiram), os amigos imaginários e outros seres que ele acreditava existirem. 

 E percebe como está ficando grande. E como crescer não depende muito da nossa vontade, ela acontece naturalmente. E com isso há perdas e ganhos. Muitos dos quais só nos damos conta, muito mais tarde na vida.

Mas ele está ali por uma razão. Ele está ali pra dizer adeus.

Está cada vez mais difícil acreditar em certas coisas, ver certas coisas, pensar certas coisas...
Ele mal cabe dentro de si, quem dirá desse lugar imaginário e tão infantil.
Quando mesmo deixamos de ser infantil? Será que aos 7 anos, como Chico?

 No final do livro tem a história original e esboços da artista.

Confesso que só vejo que meus kids cresceram, quando começo a ver as fotos mais antigas. E os dois já passaram dos 7 anos, há anos!
Fica a dica, ótimo presente de aniversário(para todas as idades)!
OLHA A ONDA de Kwame Alexander e ilustrações de Daniel Miyares. Editora Brinque-Book.
Outro dia eu estava falando (aqui no blog) sobre mediação de leitura. Sobre como é importante pra algumas kids, verem outras kids TÃO interessadas em livros.
Contei o exemplo de como, minha filha e eu, levamos um monte de crianças à frequentar a biblioteca da escola, só da gente estar lá, lendo alguns livros antes das aulas começarem.

A Cecília seguidamente leva os livros que recebemos aqui pro blog e outros que compramos, pra aula. As amigas e professora anotam os nomes, as mães tiram foto. Outro dia a coordenadora pedagógica pediu um livro sobre bullying emprestado (que a Ceci tinha levado pra escola), pra mostrar para outras professoras. 

É um círculo "vicioso" muito legal. Por que as outras crianças começam a levar para a aula, os livros que estão lendo em casa, ou que ganharam, pra mostrar pros outros da turma  também. Amooo isso.

 O que tem a ver como esse livro? Tuuudo!
Um amigo convida outro pra sair e brincar.

O "Cara" quer brincar com o "Bro" (hehehe) mas, ele está lendo e não consegue parar.

 O "Bro" arrasta o "Cara" (kkk- adorei como eles se chamam, pois pode ser qualquer criança que conhecemos), mesmo assim. Que até vai, mas não para de ler.

 O "Cara" não entende como o amigo pode gostar tanto de livros chatos. Mas o "Bro" parece tão entretido, tão dentro da história que o "Cara" começa a ficar muiiito curioso.

Tão curioso que começa a entrar na história, assim que o amigo começa a contá-la!

De repente, o mundo muda completamente e os dois estão dentro do livro.

Uma história que mostra bem como a gente se apaixona pelos livros, autores, ilustradores e histórias!
O texto é curtinho, em caixa alta.
As ilustrações são bem coloridas e divertidas.
Fácil, fácil das crianças se identificarem com os personagens.


De  André Neves, editora Paulinas.
Como todos os livros que o André faz, este também é maravilhoso! Difícil dizer se prefiro o texto ou as ilustrações, ainda bem que ele assina os dois.
Desenho, pintura e colagem. Cores e texturas envolvidas por muito branco. 
Em Maroca e Deolindo e outros personagens em FESTAS, André exalta de forma poética o folclore do Brasil através das datas típicas de diversas regiões.
Em cada capítulo conhecemos alguns personagens e a comemoração da qual participam.

Alfazema na Festa do Bom Fim


Joaquim no Carnaval 



Miguel na Semana Farroupilha, entre outros.



Livro para falar das festas de forma poética e emocionante, como só um bom texto literário pode proporcionar.


Recebemos da Brinque-Book o livro Apertado.
De Guido Van Genetchen.
Livros para a fase do desfralde são sempre bem-vindos, principalmente se o assunto for tratado de forma direta e engraçada.
Apertado é do mesmo autor de O que tem na sua fralda, que o Lucas adora.
O livro trata da fase seguinte, depois de aprender a usar o penico, o cãozinho precisa passar para o vaso sanitário. Para as crianças o banheiro e principalmente o vaso podem ser muito assustadores.
O ideal é introduzir os livros de desfralde antes da época do acontecimento em si, para que os pequenos vão se tornando íntimos do processo e do espaço onde acontece.
Uma frase puxa a outra e garante o ritmo apressado entre as páginas.

O cachorro está apertado mas sua irmã está usando o penico dele.



Porque o rato está sentado no penico dela.
E dessa forma o cachorro vai atravessando a casa e encontrando cada animal no penico do outro.
Como não tem nenhum penico disponível ele decide correr pela primeira vez para o banheiro.



Ele sobe na privada e consegue fazer xixi e cocô. 


Depois disso, já se sentindo um cachorro grande consegue lavar as mãos.
Ideal para crianças a partir dos dois anos, mas pode ser usado antes. Fofíssimo!!!!

E se de repente você pudesse adentrar um portal e ser teletransportado pra dentro de suas histórias favoritas!? Willy descobriu o segredo. E agora ele vai compartilhar com os leitores! 

Um livro incrível. Anthony Browne captura a paixão e a entrega que os book lovers têm. 

Willy descobriu o poder que a literatura tem e quer espalhar essa descoberta, para que outros se apaixonem também. 

O legal é que tem uma pergunta (por história)onde o leitor é estimulado a participar. 

O texto é ótimo (Fonte grande e espaçadas- para as kids pequenas e as vovós lerem) 

e as ilustrações são espetaculares! 

Olhe beeeem de pertinho para descobrir detalhes fantásticos. Fica a dica!

Vejo também a diferença que faz ter uma amigo que lê. Ano passado, trocamos a minha filha de colégio. E adivinha o que fizemos no primeiro mês de aula?
Todos os dias chegávamos cedo pra explorar a biblioteca.
Eu lia pra ela vários livros infantis que eu amava e muitos novos que nós duas não conhecíamos. Várias vezes os postei no nosso IG e outras vezes, saí direto para comprá-los, de tão lindos que eram.
E como minha filha não conhecia ninguém, eu estar na biblioteca contando histórias fez com que um monte de crianças fossem pra lá também. Muitas que não frequentavam o local e começaram até levar livros pra casa. As mães de alguns vieram falar comigo. 
Como é importante isso que o Willy fez no livro: ser mediador e, de certa forma, um "influenciador" não digital. Ele mostra, aponta caminhos, baseado no que gostou, no que vivenciou. É o que tentamos fazer aqui no blog e nas nossas redes sociais: MOSTRAR NOSSA PAIXÃO POR LIVROS!

É pra vocês, leitores, que fazemos isso. Pra mostrar que até fora do blog, Facebook, tabletes e computadores e outras mídias, existem mundos maravilhosos só esperando ser abertos, pelo leitor! 
Isso é apaixonante!
:)