Dicas para ententer crianças presas em casa
Quase na hora de largar a Ceci na escola, ela pede LÊ PRA MIM. Ok. Estacionei, já que em Brasília ainda é relativamente seguro fazer isso, e li essa história, antes dela entrar. O CONTO DO CARPINTEIRO de Iban Barrenetxea, da Companhia das Letrinhas.

Um carpinteiro era tão bom, mas tão bom, mas tão bom no seu ofício, que praticam até tudo que ele fazia ganhava vida. A mesa parecia dançar,

o cavalo de balanço

fugia pra comer pasto, a bailarina recebia pedidos de casamento. Divertiiiido!

Isso tudo até o dia que o Barão da cidade fez um pedido inusitado.

Bem... 5 pedidos inusitados.

 Que deixavam todos de cabelo em pé, literalmente!
A Ceci adorou a história.
Tanto o texto, quanto as ilustrações têm aquela coisa que as crianças adoram: repetição dos acontecimentos... Só uma pequena parte muda, que causa graça e estranhamento. Fica super divertido e as crianças ficam na expectativa pra ver o que vai mudar e por quê.

Recomendamos!
Olá! Aqui é o Cássio falando do mais novo lançamento da Ediouro com o selo Pixel Media,

WARCRAFT POR TRÁS DO PORTAL NEGRO, que conta os bastidores e a história por trás do filme O Primeiro Encontro de Dois Mundos e dos jogos da série Warcraft.

Os games foram lançados pela Blizzard Entretainment entre 1994 (Warcraft Orcs & Humans) e 2014, com a expansão de jogo World of Warcraft: Warlords Of Draenor.


Uma coisa legal de se citar do livro é que ele, como nos manuais do jogo, conta a história das facções dos humanos, a ALIANÇA, e a dos Orcs, a HORDA, mas dessa vez eles fizeram melhor, o livro tem duas capas, uma na frente e a outra atrás, mas as duas são invertidas uma da outra, se encontrando no meio do livro, olhe o outro lado:


AUTOR: David Wallace.
POSFÁCIO: Dominic Cooper.
Editora: Ediouro.
Páginas: 172.
Tamanho: 28 x 25,4 cm.
Capa: DURA.

Sinopse:
Como o longa que estreou dia 2 de junho, o livro fala os detalhes do reino de Azeroth à beira da guerra, o reino invadido por uma raça que nunca antes foi vista: os orcs. Então as duas facções (ALIANÇA e HORDA) entram em conflito.


A parte da ALIANÇA engloba os Humanos, os Anões, os Gnomos, os Elfos noturnos, os Draenei e os Worgens (quem jogou Warcraft conhece). Abaixo está o rei de Azeroth:


Já a parte da HORDA engloba os Orcs, os Trolls, os Taurens, os renegados, os Elfos sangrentos e os Goblins (quem jogou Warcraft também conhece). Abaixo está o líder dos Orcs:

No livro, também existem artes conceituais, olhe:

 e

e


O livro está sendo comercializado nas principais livrarias e lojas online do Brasil, na categoria Nerd/Geek. O preço é a partir de R$ 70,00.
Vale muito a pena e eu gostei, mesmo não tendo jogado muito o material de origem, para entender o filme e até o jogo mais... é bom comprá-lo. Muito show!
EU RECOMENDO
  Esses tempos a Cecília queria comer UMA COISA BOA, mas não sabia o quê queria. Disse pra ela procurar nos nossos livros de receitas... E ela veio se queixar que TUDO tinha MUIIITO açúcar. Fui lá ver, e era verdade! Tudo tinha 1 xícara de açúcar, 1 xícara e meia, 2 xícaras de açúcar. Fui pesquisar na internet e descobri que tinha esse livro, da Editora Sextante.  CHEGA DE AÇÚCAR - Um Programa Detox de 8 semanas - de Sarah Wilson.

O livro começa com a Sarah contando por que resolveu eliminar o açúcar de sua vida.

Conta como fez e depois divide o método em 8 semanas, para que a pessoa possa eliminar o açúcar, mas aos poucos, pois o corte rápido pode ser gerar uma falta muito grande no organismo, acostumado aos excessos e a pessoas tende a ter mais recaídas e não seguir o programa todo. 

Então, aos pouquinhos ela mostra como ir tirando o açúcar, naturalmente.

Outra coisa legal do livro é que ela vai explicando detalhadamente o que realmente estamos eliminando, e os porquês.
Cada semana tem receitas deliciosas, inclusive doces sem o açúcar convencional. E pra mim esse é o ponto alto do programa.

É cheio de dicas de pré-preparo e do preparo dos alimentos.


Alimentos, quentes, frios, sucos e vitaminas, molhos, sopas, pratos principais e petiscos. 

 
Além de doces, claro. Olha que gostosura!

Nós fizemos a receita das panquequinhas de maçã. Nós pegamos maçãs tão doces que nem colocamos o Stévia que o livros sugere. Uma delícia!


A Pérola, esperando cair um pedaço da panqueca no chão. Mostrei o livro e a receita lá no Snapchat (kidsindoors). Super fácil e rápida de fazer.

Confesso que não fiz as 8 semanas. E digo que é bem mais fácil fazer, se você tem filhos que comem de tudo. Muitas receitas deliciosas levam legumes e verduras que meus filhos não comem, então tinha que preparar comida para mim e outra para os kids. Mas assim que eles tiverem maiores, se preocupando mais com a saúde, voltarei ao programa, levando toda família comigo! 
 Acho que as pessoas estão ficando mais conscientes da qualidade da alimentação que precisam ingerir. Esse livro é um dos caminhos possíveis. Super recomendo. Fica a dica.
Você conhece a verdadeira história de Anne Sulivan, e da pequena garota cega surda-muda Helen Keller?
 
A história real que revolucionou o universo da linguagem e ensinou ao mundo que nada é impossível. 
Hoje foi a estréia, quinta-feira (23), em Brasília, o Grupo de Pesquisa Cênica do Sesc-DF da peça “O Milagre das Mãos”, com entrada franca, baseada na história da professora Anne Sulivan, que por meio da linguagem de libras, com muita determinação, consegue conectar uma menina (Helen Keller) cega e surda-muda ao mundo, fazendo com que ela se torne uma grande intelectual.
 
Parabéns a todo a equipe deste espetáculo, foi lindo demais constatar a emoção geral da plateia, graças a esta maravilhosa qualidade geral do espetáculo.
Um dos diferenciais do espetáculo está no fato dele ser inclusivo. O Sesc disponibilizará neste fim de semana, nas apresentações de sábado e domingo, intérpretes de libras (Língua Brasileira de Sinais) e também oferecerá o serviço de áudio descrição, voltado para as pessoas cegas. Esse serviço, porém, está limitado a uma vaga por sessão.
O espetáculo mescla as linguagens de teatro, dança e audiovisual, em uma história encenada no teatro Sesc Garagem na 913 sul, entre os dias 23 e 26 de junho, e 30 de junho e 3 de julho, sempre às 20h, com entrada franca.
O que mais me surpreendeu, foi a qualidade geral do espetáculo, a iluminação perfeita, efeitos audiovisuais leves mas que por vezes pareciam que me deixariam surda, faz todo contexto. 
E os atores, ai ai ai, o que dizer deste atores incríveis.
 
Deni Moreira, que faz James Keller, o irmão divertido, irreverente, e na peça, é responsável por várias gargalhadas.
 
André Araújo, que faz Capitão Keller, o pai da menina Helen, lindo, perfeito, postura e voz incríveis.
 
Duda Marques, que faz Kate Keller, a mãe da menina Helen, linda, doce, ela é o brilho a luz, literalmente, que encanta a todos logo no início do espetáculo. Vocês que assistiram concordarão comigo, Duda é responsável nos primeiros minutos ao começar o espetáculo, ela sozinha no palco, e é ela, por causa dela toda a plateia tem certeza que tudo aquilo, cena, luz, imagem, expressão corporal, conquistará definitivamente nossos corações.
 
Camila Guerra, que faz a Anne Sulivan, a professora da menina Helen. Se você como eu pensava que ela seria uma brilhante atriz, você está certo. Ela é incrível, voz, expressão, corpo, movimento, ballet, ela é completa. Você também irá se emocionar com cada movimento e linda atitude dela.
 
Naira Carneiro, que faz a menina Helen Keler. Eu ainda estou engasgado, emocionada, completamente envolvida e encantada com esta atriz. Estou com aquela vontade de gritar bem alto:
- Naira nos conte onde é que você estava, aqui em Brasília?
Esta linda pequena, doce, e "frágil" atriz, se apresenta e se mostra grande, forte, quase como um touro, numa total entrega para toda a plateia. É incrível a capacidade e o envolvimento que a dupla Naiara e Camila revelam no palco, toda a plateia se emociona com as duas.
 
A incrível qualidade da direção corporal é algo difícil de explicar. Para os que conhecem o espaço do Teatro Sesc Garagem sabem que representa muito muitíssimo a organização e apresentação geral neste espaço. Trata-se de uma sala em formato "U" e, o que eu mais amo é a possibilidade de ter a plateia pertinho dos atores. E, é claro, quando isso acontece, a emoção transborda! Então, voces me compreenderão quando eu revelar aqui que entrei em delírio quando no auge da cena Helen Keler na sua descoberta da linguagem, a atriz Naira Carneiro aproxima-se da plateia e toca carinhosamente o rosto de uma lindíssima criança que estava na plateia com seus pais, assistindo atentamente. Foi mais ainda emocionante, para delírio de todos ali, na plateia.
 
 
Revelo aqui a vocês, quando eu soube desta peça resolvi ir correndo lá no endereço do Teatro Garagem para garantir e comprar com antecedência meu ingresso. Foi ai que soube que era gratuito, e melhor ainda, eu fui recebida por nada mais nada menos que o próprio diretor do espetáculo Rogero Torquato, super hiper simpático. E da mesma forma estava ele a noite conversando e recebendo a todos na porta, entrada para o teatro. “Essa tradução para as pessoas cegas começa meia hora antes do espetáculo, quando eles tem a chance de tatearem o cenário, o figurino e depois assistirem a peça com o auxílio dos tradutores”, informa o assistente da Coordenação de Ações Culturais do Sesc-DF e também diretor do espetáculo, Rogero Torquato.
 
Organize-se, TODOS merecem este presente, é imperdível, todos merecem assistir! E que tal darmos uma força lá no facebook, convidar, indicar para que este espetáculo também esteja presente em outras cidades. Eu já combinei com uma amiga de goiania que iria fazer isso por ela.
Facebook: SescDistritoFederal
Bom espetáculo para todos!
Aqui tem muita festa boa este mês, e você ai, também tem festa junina?
Vamos juntos conhecer este enfeite com cesta de vime e recheado de pacotinhos de paçoca. Vem comigo!
Organizamos para a festa da escolinha uma cesta recheada de pacotinhos com paçoca. E, para ficar diferente, resolvemos mudar um pouco a apresentação destes pacotinhos. Vamos juntos, criar esta cesta cheia de paçoquinhas.
Materiais usados: cola quente, colheres de plástico, paçoca, saquinho plástico, cesta de vime, retalho em tecido, e mini-chapeuzinhos de palha.
Passo a passo:
- a criança pode ajudar a separar um a um: colher, paçoca, saquinho plástico, chapéu e tirinha de retalho
- aplicar cola quente (aqui em casa é só com adulto) no centro da cavidade da colher para fixar o pacotinho de paçoquinha
- envolver embrulhando no saquinho plástico
- fazendo um acabamento amarrando com a tirinha de retalho
- aplicar cola quente na borda interna do mini chapéu de palha e tampar na cabeça da paçoquinha
 
- aplicar cola quente na base da colher e fixar algumas na alça da cesta de vime
 Pronto, esta pronta nossa cesta de vime cheia de paçoquinha!
Curiosidade:
Uma curiosidade sobre estes festejos juninos, que muito chamam de festa de São João, é que São João foi primo de segundo grau de Jesus. Ele ainda estava na barriga da mãe, Isabel, quando esta prometeu à prima, Maria, avisá-la assim que ele nascesse.
Na noite em que deu à luz São João, ergueu um mastro em frente a sua casa, iluminando-o com uma grande fogueira. Daí surgiu o costume de acender uma fogueira durante a festa junina.
Há quem diga que essa história não passa de uma lenda católica que "cristianizou" as fogueiras, que fazia parte da antiga tradição pagã de celebrar o solstício de verão e que aos poucos teria se tornado, na Idade Média, um atributo da festa de São João Batista.
Com fogueira, ou com muita paçoca, o certo é que os festejos juninos são recheados de guloseimas. E nada melhor que reunir a família e os amigos nesta festa.
Desejamos a todos ótimas festas!
O seu filho gosta de histórias de cavalos, xerifes e cowboys? Se a resposta for sim, você pode propor a ele uma festa junina no estilo fazenda.
Que tal customizar a camisa xadrez dele?
Eu resolvi usar este dois tons de feltro, aproveitando as cores que eu já tinha em casa. Minha ideia é usar a cola quente para fixar os dois tons de feltro, juntos. Porém, não usar cola quente fixando na camisa, para que depois dos festejos juninos eu possa tirar este acessório, e voltar a usar a camisa da forma original.
A dica que segue aqui basta apenas feltro, cola quente, tesoura, papel, linha e agulha. Seguem imagens detalhadas. 
Então, vamos lá, seguem aqui as etapas:
 
- recortar na folha de papel, definindo o tamanho do feltro que será aplicado nos ombros e na ponta da gola;
- você pode riscar no papel e pedir para a criança corta em cima da linha;
- recortar no outro tom de feltro, tiras, ou raios, o que você desejar;
- decida junto com a criança o desenho que vocês farão;
- aplicar cola quente para fixar duas camadas de feltro;
- aplicação de feltro pronta, eu decidi alinhavar na roupa;
- já que usar cola quente não é tarefa para as crianças, você pode convida-lo para desenrolar um pedaço de linha do tubo e cortar;
- linha na agulha e vamos seguir com a etapa final, alinhavar a aplicação de feltro na roupa.
- pronto, acabamos.
É hora do banho, arrumação geral.
 
 e vamos para a festa da escola.
E você ainda pode absorver o clima de aventura da cultura rural e torná-la uma realidade divertida para seu filho e os amigos. Você pode incluir literaturas como atividade de apoio, também garante boa diversão. Aqui em casa nossos parceiros são o cowboy do filme Toy Story.
Abril Coleções Disney Pixar - Toy Story - Coleção para Ler e ouvir.
Inclui CD com historias com as vozes dos personagens.

 Aqui, somos também fãs de revistinhas em quadrinho do Chico Bento, e nesta época junina, curtir as historias da fazenda com Chico Bento é maravilhoso.
Lendas Brasileiras, por Mauricio de Sousa - Turma da Monica
Editora Girassol
Acompanha um CD narrado por Mauricio de Sousa
Existem também vários DVDs festa na Fazenda, e muitos outros materiais com aventuras na Fazenda. Sempre incluindo uma boa dose de aventura para que as crianças possam mergulhar neste universo de fantasia.
Aqui em casa, também aproveitamos o momento para explicar os festejos juninos, e porque algumas pessoas associam com santos: São João e Santo Antônio. Não fazemos esta associação por aqui. Mas, é momento de reunir a família e amigos, e se divertir muito. E a organização das atividades pode ser realizada em família, junto com a criançada.
Oh! Época boa, com delicia diferentes na cozinha, hém?
Boas festas pra vocês ai também, claro, boa leitura, com bom apetite!
No #temcriançalendo de hoje estamos falando sobre livros que podem nos ajudar em situações difíceis. Que de uma maneira ou outra podem amenizar uma dor que parece não ter fim.

JOGOS DEPOIS DA CHUVA de Christina Dias e com ilustrações de Carla Irusta, da editora FTD. Numa cidade do interior, os moradores foram forçados a saírem de suas casa, em função de uma enchente. A maioria dos moradores, com os poucos pertences que conseguiram salvar, foram abrigados em um ginásio. Lá dentro a solidariedade reina. Tudo é dividido: brinquedos, tempo, comida, cuidados e até preocupações. Uma turma de crianças logo ficaram muito amigos. De diferentes idades e gostos, não sabia que poderiam ter tantas coisas em comum. E lá fora a chuva não mostrava sinais que iria parar. O que fazer para o tempo passar? Como ajudar? Será que a vida vai voltar ao normal? Todos sentem saudades de casa. Mas será que todos terão casas? Um livro sobre amizade, empatia, ajuda, solidariedade, força e esperança. Bonito. Bons exemplos. Saímos do livro com a sensação de que precisamos ajudar a melhorar o mundo. ☺️ Fica a dica.
Você já pensou quanto o que vemos e ouvimos nos afeta? Hoje de manhã acordei e já ouvi a notícia de que, após ganhar a guarda a filha, matou-a com pauladas na cabeça. Agora me diz como devo seguir o resto do dia? Outra noite, quando ia me deitar, meu marido leu em voz alta a notícia que uma mãe tinha deixando o filho especial na escola e ele tinha sido abusado por colegas maiores, dentro da escola. Não dormi a noite rezando pela criança e por aquela mãe. Para o mundo que quero descer! Eu sei que as crianças precisam saber que o mundo é feito de coisa boas e ruins... Mas ouvir toooodos os dias essas notícias não vão deixá-las achando que essas BARBARIDADES são normais? Aqui em casa não tenho TV aberta. Na verdade não temos nem TV. Desligamos o computador, que tb serve de TV quando precisamos acompanhar alguma coisa, tipo votação ou qualquer outra coisa grande. Mas no dia a dia não tem. E porque não quero que meus filhos cresçam que isso, essa violência toda, é normal. Por que não é!

SANGUE DE BARATA. Nesse livro, das @paulinasbrasil, escrito pelo Cristian David e ilustrado pelo Rodrigo Rosa, o menino de TAAANTO ver 💩💩💩 e lixo na TV, não se importa com nada que acontece ao seu redor. Não se sensibiliza mais. Um dia, ao acordar, vê que se transformou numa barata. Já que ele tinha sangue de barata, mesmo. O que será que vai ser dele agora?
 Como ensinar a criança a se importar? A ter empatia? A querer mudar o que estar errado? Fica a reflexão.

ATRAVÉS DO ESPELHO de Jostein Gaarder, da Cia das Letras. Um livro intenso. Cecília Skotbu é uma criança que passa a maior parte do tempo deitada em seu quarto, irá morrer em breve e sabe disso. Ela está com uma doença terminal... o o foco da história não é a doença, mas o que tem/acontece depois da morte? Muito debilitada ela começa a receber visitas do anjo Ariel, durante essas visitas Cecília começa a descobrir segredos de sua própria existência, enquanto anota tudo em um caderninho... Nas longas conversas que Cecília tem com o anjo Ariel, os assuntos: morte, criação, vida, saúde, solidão e Deus, são levantados. Um livro que nos faz refletir o tempo inteiro. Uma história filosófica onde Ariel tenta entender como é ser um humano e Cecília tenta entender como é ser um anjo. É um livro rápido de ser lido. E como tenho uma Cecília em casa, o livro me faz chorar sempre. Tem o filme tb. Mas não vi. Todos vamos morrer, mas como lidar com uma morte prematura e anunciada? Tema delicado.

Esse livro poético pode ter muitas interpretações. Vou escrever uma delas aqui. Dudu só olhava pro próprio umbigo e era muito feliz no seu mundo. Porém, um dia uma brisa diferente soprou e o céu desabou em chuva. Dudu foi inundado de água que acabou entrando no seu próprio umbigo. Triste, teve que sair do seu mundo e olhar ao redor. Haviam outras pessoas ali, na mesma situação. E não se isolou mais. Foi construir pontes. Ilustrações liiindas de @weberson83 e texto de Olívia Rabacov. Editora Mar de ideias.

Como explicar um tema que nem nós entendemos? A guerra é a mais absurda das catástrofes. Em "O menino, a guerra e a bola" vemos um recorte da primeira grande guerra. Durante o inverno, os soldados mergulhados na lama respondem aos gritos dos generais atirando de um lado e do outro. Os exilados andavam pelas estradas fugindo dos combates. Só um acontecimento imprevisível poderia paralisar o tempo e as balas. Um menino sai do grupo e ao som dos gritos desesperados da mãe corre atrás da bola e entra no campo de batalha. Narrativa sensível e arrepiante que faz as lágrimas escaparem dos olhos. De Jean-Baptiste Cabaud e Fred Bernard, editora Martins Fontes.

Um menino apresenta sua irmã mais velha a Cleonice. Ela não consegue andar, falar ou se mover muito. Ela não sabe por que ela não faz essas coisas: só sabe que é assim. Ele diz que ela é como uma princesa: não precisa fazer muitas coisas, só ficar sentada olhando. Algumas irmãs podem ser más, gritam, xingam, puxam cabelo, mas Cleonice é um doce e o faz sorrir. Ela faz barulhos fofos que o fazem dar risadas. Eles juntos voam até a lua e cavalgam cavalos em cima da cadeira de rodas dela. São ótimos amigos, só sei que é assim. Uns 12 anos atrás eu era professora numa escola para alunos especiais. Lembro do relato de uma das mães, que me contou que a filha dela era "normal" até os dois anos. Corria, brincava, falava... Mas uma noite teve febre, convulsões e uma parada cardíaca. E depois ficou como a Cleonice da história que só mexia os olhos. 😔 Por isso gosto tanto desse livro. Um livro que conforta, que é cheio de amor. Apesar das dificuldades tem uma família que a ama, que a cuida, que se importa.

O @temcriancalendo de hoje está com dicas de livros sobre temas difíceis.

Você tem alguma dica? Marca a gente: #temcriançalendo!
E siga as gurias pra conhecerem outras dicas:
@conversadequintal

@casadeleitores

@entrefraldaselivros

@passarinhos_no_sotao

@mardehistorias

@sobreissoeaquilo

@boaleiturabomapetite

@cirandacontada

@coisasdalara

@virapaginas