Dicas para ententer crianças presas em casa

Livros para empoderar meninas (segunda parte)

Lembro bem do dia em que estava fazendo um curso de escrita criativa e ouvi do professor que, infelizmente, as histórias protagonizadas por personagens femininas não eram tão interessantes para o público quanto as que mostravam feitos masculinos.
Vamos oferecer aos pequenos boa literatura para mudar desde o início essa história?

As Aventuras de Alice no País das Maravilhas




Começamos com um dos nossos livros favoritos. 
As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol é um mergulho no interior da menina. Acompanhamos a viagem de amadurecimento de Alice que está deixando de ser criança e se transformando em adolescente. Durante o trajeto precisa aprender a vencer seus medos, principalmente de crescer e das mudanças que a idade traz. (Por exemplo: As poesias que tenta recitar não fazem mais sentido pois são versos infantis.) Alice representa aquela fase em que a criança é grande demais para certas coisas e pequena para outras.






Um dos livros mais intrigantes da Literatura Infantil, com uma protagonista feminina que não se dobra frente às dificuldades e autoritarismo.
Essa capa é da edição da Zahar, aqui no blog temos muitas outras. Procure a que mais se adaptar ao seu leitor (texto integral, ou adaptação). Este livro pode ser lido ao longo dos anos e segundo pesquisas os maiores admiradores de Alice são adultos. Alguns trechos podem parecer sem sentido a um leitor mais apressado (o que gera interesse nas crianças, livres de nossa exigência de total verossimilhança) mas ao ler avaliações de especialistas somos levados a concluir que muitos deles se referiam a personagens e costumes da época de Carrol e Alice.


O Maravilhoso Mágico de Oz



Doroty é uma menina que não tem pais, criada pela tia. Determinada vai atrás dos seus sonhos enfrentando bruxas e magos. Ao mesmo tempo ajuda quem encontra no caminho. Exemplo de personagem forte que guia seus companheiros de jornada. 




Uma Chapeuzinho Vermelho



De Marjolaine Leray, editora Cia das Letrinhas.
O lobo achou que a chapeuzinho estava no papo. Só que ele não sabia com quem estava lidando. Para desconstruir a ideia de que só o caçador pode salvar a menina e dar mais protagonismo a Chapeuzinho. Amamos os desenhos, o uso das cores (só duas), as linhas, a diagramação, tudo!




O Mundo no Black Power de Tayó



Para rever os estereótipos entre as crianças, meninos e meninas.
Tayó é uma menina de beleza rara com seus olhos negros como a noite e boca grossa como orobô. Na cabeça ostenta um enorme cabelo crespo que enfeita com a ajuda da mãe. Flores, borboletas e fitas expressam alegria no cabelo Black Power de Tayó. Alguns colegas dizem que seu cabelo é ruim, mas ela sabe e responde que seu cabelo é fofo e cheiroso.
Tayó é uma princesa que lembra nos sonhos as origens reais dos seus ancestrais africanos.


Matilda



De Roald Dahl, editora Martins Fontrs. Matilda é uma menina especial. Negligenciada pela família aprende a ler de forma autodidata. Quando consegue ir a escola conhece uma professora sensível que percebe suas peculiaridades. Juntas enfrentam o autoritarismo da diretora. A menina dá força para a professora enfrentar seus medos enquanto é salva da família. (Ilustra bem a frase "Juntas somos mais fortes"). 
 


Frida Khalo



Frida Kahlo é nossa primeira antiprincesa (ou princesa asteca, talvez): uma mulher que mostrou o corpo embora fosse manca, que pintou em uma tela os momentos mais tristes e mais felizes de sua vida, que, apesar de todos os seus sofrimentos físicos, procurou a arte, a alegria e lutou pelo bem do mundo não só para ela, mas também para muitas outras pessoas... Para meninas (e meninos) de 4 a 100 anos!


Meu Reino



De Kitty Crowther, editora Cosac Naify. 
Meu Reino é um pequeno livro com enorme potencial narrativo. A menina da história, que é contada em primeira pessoa, não tem nome (poderia ser a própria leitora). Vive numa pequena casa no alto da colina entre dois enormes castelos. Seus vizinhos, Patrick e Dominick são cruéis e bravos. Eles a visitam separadamente, mas quando se encontram brigam entre eles e com ela (um não aceita que o outro tenha entrado na casa da menina). Acabam destruindo tudo. A menina precisa dar um basta na situação, contando apenas com a ajuda de seus amigos animais. 
As ilustrações mostram a perspectiva da criança, onde os adultos (no caso, os pais) parecem assustadoramente grandes. Para ajudar a lidar com situações abusivas em relação aos adultos ou apenas questionar as figuras de autoridade excessiva. 


Espero que essas histórias ajudem as nossas meninas (e meninos) a pensar e construir um novo mundo.

E já temos mais uma lista de livros esperando o terceiro post da série.
Se você chegou agora, bem vinda, pode encontrar o primeiro post AQUI.

0 comentários:

Postar um comentário

Oi. Bom te ver por aqui! Responderemos o mais breve possível. :)