Dicas para ententer crianças presas em casa

MAC e seu contratempo

Hoje vou falar sobre minha primeira leitura do ano.


MAC E SEU CONTRATEMPO de Enrique Vila-Matas, da Companhia das Letras.

Mac é um homem que está escrevendo um diário. A empresa de construção da família faliu e ele está desempregado aos sessenta anos.  Ele depende totalmente do trabalho da mulher (que não ama mais), que é restauradora de móveis e nunca imaginou estar nesta situação.

Começa a escreve um diário, pois tem o desejo de ser escritor e a princípio,  quer escrever um livro que pareça inacabado, como se interrompido bruscamente (pela morte, por exemplo), mas que na verdade, está acabado.

Mas a medida que escreve, começa a focar em outras questões, como a REPETIÇÃO, e como ela está presente nas nossas vidas.

E claro que ele tem algumas repetições diárias, como tomar um drink, ler o horóscopo no fim do dia e fazer links com os eventos pelos quais passou. Sempre acha que há mensagens diretas pra ele, escondidas nas previsões.

A medida que escreve começa a analisar outras questões (além da repetição) sobre literatura, livros, linguagem, ser leitor, escritores e ser escritor, formas de escrever e o ato de escrever.


"os parágrafos perfeitos não resistem ao tempo, porque são apenas linguagem: são destruídos pela desatenção de um linotipista, pelos diferentes usos, pelas modificações; em suma, pela própria vida."


“… essencialmente, todos nós somos repetidores. A repetição, gesto humano onde quer que haja humanos, é um gesto que eu gostaria de analisar, de estudar a fundo, para modificar as conclusões a que outros chegaram. Será que conseguimos fazer alguma coisa nessa vida que não seja a repetição de algo já previamente ensaiado e realizado por aqueles que nos precederam?”


"escrever é tentar saber o que escreveríamos se viéssemos a escrever"


"'A arte está na tentativa, e esse modo de entender o-que-está-fora-de-nós usando apenas o que temos dentro de nós é um dos trabalhos emocionais e intelectuais mais difíceis de fazer.'"


"Walter Benjamin em 'Sombras Curtas'; ' Signos Secretos. Todo conhecimento deve conter uma pitada de contrassenso, assim como, na Antiguidade, os desenhos dos tapetes e frisos em algum ponto de desviavam um pouco de seu curso regular. Em outras palavras, o decisivo não é o avanço de um conhecimento para outro, mas a brecha que se abre em cada um desses contrassensos'. Essa fissura que se abre nos permite acrescentar detalhes nossos à obra-prima inacabada"


E com o passar do tempo, ele começa a reler um livro quase esquecido por todos, escrito por um vizinho (começa a ficar muito obcecado por ele) e pensa em reescrevê-lo, para melhorá-lo, já que tem várias partes super chatas e maçantes.
O livro se chama: Walter e seu contratempo, e foi escrito por Sánchez, quando este estava muito bêbado. É um romance formado por pequenos contos, que narraram a vida de um ventríloquo que sofre da maldição de ter apenas uma única voz. Walter fala da sua jornada em busca da “cura” para seu mal. Cada capítulo do livro "Walter e seu contra tempo", é escrito de uma forma diferente, pois Sánchez  imita a forma de narrar de importantes autores, como Jorge Luis Borges, Hemingway, Malamud, entre outros. Mac se envolve tanto com o livro que ele começa a compará-lo com sua própria vida e acaba descobrindo até alguns segredos do passado.

É um daqueles livros que você termina já com uma lista enorme de livros e escritores para ler em seguida! Amo!

Recomendo o livro pra todos os apaixonados por livros que fala de livros, escrita e literatura. 



0 comentários:

Postar um comentário

Oi. Bom te ver por aqui! Responderemos o mais breve possível. :)