Homenagem ao Sergio Napp


Sergio Napp faleceu ontem a noite.
Pra quem não o conhece, deixo uma pequena apresentação:

Sergio Napp nasceu em Giruá (RS) em 1939. Além de professor e engenheiro, é escritor e compositor, com publicações no Brasil, Argentina e França. Também foi produtor de shows e discos, com inúmeras premiações como letrista. Premiado em festivais de música no Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro, tem mais de 100 trabalhos gravados por artistas locais, nacionais e internacionais, sendo autor de um dos clássicos do regionalismo gaúcho, Desgarrados, em parceria com Mário Bárbara. Algumas músicas  você pode até conhecer, mas não sabia que era dele, como: Música gravada por Elis Regina (Meus olhos), Tito Madi (Pra que mentir), Marisa Barroso (Vou ficar com você). 

E alguns dos livros que escreveu:
NO CAFUNDÓ DAS ESTRELAS.de Sergio Napp e ilustrações de Anelise Zimmermann. Editora: Paulinas.
Sinopse: O livro é composto por poemas com temas variados, tais como: ecologia, existencialismo, fisiologia, metalinguagem, animais, brincadeiras, imaginação... O ponto de intersecção entre os textos é a infância. O encanto dos poemas é a estética aprimorada e a utilização de vários recursos linguísticos. Sérgio Napp se mostra como um poeta sensível que não faz concessão à uma lírica simplista, mas que seus poemas revelam sim por meio de suas entrelinhas o olhar sensível e primoroso do autor para a vida. E com Anelise Zimmermann como a ilustradora da obra, só tornou a proposta muito mais atraente.
A PEDRA DO CONHECIMENTO de Sergio Napp e ilustrações de  Anelise Zimmermann. Editora: Paulinas.

Sinopse: Conteúdo provocante, Napp contou com a força e a pureza da criança para falar do desejo de querer transformar um mundo de riquezas mal divididas. Questões de sempre sem respostas, que estimulam debates e engajam-se na realidade atual. As ilustrações ficaram por conta de Anelise Zimmermann, primeiro trabalho com as Paulinas, que soube criar uma Mariana adorável, em movimento constante em uma paisagem singular. 
A DELICADEZA DO ESPANTO de Sergio Napp, ilustrações de Teodoro Adorno. Editora: Saraiva.

Sinopse: A poesia mais pura é a vida. A vida daqueles que têm no peito um jardim florido é um delicado espanto. Pássaros e flores tornam-se mágica poesia nas palavras de Sergio Napp. Nostalgia, alegria e paixão para cantarolar os encantos do coração, espalhados em trinta e dois poemas escritos com sensibilidade, que usam e abusam das palavras, brincando com os vários sentidos que podem ter.

HORA DO BANHO de Sergio Napp e ilustrações de Tânia Ricci. Editora: MOP. 

Sinopse: Juliana é uma menina esperta e tem olhos de ver. Ver o que nem todos veem: as fantasias da vida, o encanto em descobrir o quanto uma tarde de brincadeiras pode trazer a um coração em festa. E, na hora do banho, a mãe de Juliana ouve as coisas que ela conta e encanta. Uma história que foi publicada com a aprovação do projeto cultural "Formação de Novos Escritores",aprovado no Ministério da Cultura, patrocínio BRDE. Altamente recomendada a pais e professores da educação infantil e os primeiros anos do ensino
 HOUVE UM VERÃO de Sergio Napp e ilustrações de Martina Schreiner.
Sinopse: Esta é a história de Gabriel, garoto que vive uma infância tranquila enquanto coleciona perguntas, como quase todo garoto. Um dia, numa manhã qualquer, a vida começa a lhe apresentar as dores que a vida de todo garoto traz - perdas, mudanças, rejeição, medo, descobertas nem sempre fáceis - e então ele começa a enfrentar as situações que todo menino enfrenta para tornar-se homem. O amadurecimento, sabemos, não vem sem sofrimento. É necessário percorrer caminhos por vezes bastante acidentados para encontrar as respostas para tantas perguntas colecionadas. Houve um verão é um romance de formação que acompanha uma personagem desde a infância até a vida adulta.
MENINO COM  O PÁSSARO AO OMBRO de Sergio Napp e ilustrações de Walter Moreira Santos. Editora: Artes e Ofícios. 

Sinopse: O menino-personagem dessa belíssima história de Sergio Napp traz um pássaro ao ombro. Desde o nascimento, carrega no seu olhar de infância a sensibilidade de observar a vida de um jeito mais demorado, enxergando nas coisinhas tão pequenas do cotidiano, muito mais do que elas mostram num olhar menos atento. E esse pássaro-poesia que acompanha o menino faz com que todas as aventuras, as delícias e as tristezas que ele vai vivendo sejam muito especiais. 
Para completar, o traço de Walther Moreira Santos é também pura poesia. As ilustrações conversam com o texto como se ambos fossem velhos conhecidos: o texto é o menino; a ilustração, o pássaro. Mas também pode ser o inverso.
O PENICO DO GENERAL de Sergio Napp e ilustrações de Sandra Lavandeira. Editora: Artes e Ofícios.

Sinopse: Um penico velho, descascado e coberto de poeira. Para que serviria, nos dias de hoje, um penico?Capacete para enfrentar escaramuças! Quem sabe transformá-lo em vaso ou em aquário? Aventure-se com o Lucas e descubra para que serve O penico do general.
 PASSARINHAR-SE de Sergio Napp e ilustrações de Walter Morais. Editora: WS editor.

Sinopse: "Ariosto era gorducho, pesado, redondo. Uma tarde, ele estava sozinho sobre o telhado debulhando uma palavra - fosforescência - quando ouviu uma voz tão linda que mais parecia uma flauta em uma tarde de primavera. Aí..." começa a história.

SE O MENINO TEM ASAS de Sergio Napp e ilustrador: Fê. Editora Positivo.

Sinopse: Se o menino tem asas, deixa a curiosidade solta e procura conhecer tudo, sem medo. A imaginação desse menino inventado por Sergio Napp é tão cheia de cor que busca transmitir alegria para quem lê.


Conheci Sergio (pessoalmente) como compositor de letra de música, antes de ser escritor.

Essa foi a primeira música que ouvi dele:
DESGARRADOS!
 

Eu tenho quase certeza que você já leu alguma coisa dele, e não se deu conta: 

Em A CALIGRAFIA DE DONA SOFIA de André Neves há dois poemas dele! Aposto que você nem sabia!
Fica a dica!  

Comentários