Uma lagarta muito comilona


Hoje trouxemos para vocês algumas versões da nossa grande paixão.

Uma lagarta muito comilona de Eric Carle, editora Callis.

Este é um livro pra lá de especial, considerado um clássico contemporâneo. Foi o segundo da carreira do artista e designer Eric Carle, em 1969. De lá pra cá conquistou, segundo o site oficial do autor, 41 milhões de leitores em 62 línguas. E qual é o segredo para essa lagartinha continuar apaixonando tanta gente?
Vamos espiar a edição que recebemos da editora Callis, pop-up, em comemoração aos 45 anos de lançamento do livro. Percorrendo as páginas tentaremos desvendar os segredos do livro:

A simplicidade de uma história natural sobre o ciclo de transformação da lagarta. O livro é pensado para chamar a atenção dos pequenos leitores que costumam ser exploradores dos fenômenos da natureza. Comer, se locomover, crescer e mudar faz parte do universo infantil. Não apenas as lagartas observadas passam por essas etapas, as próprias crianças se sentem representadas no livro.

A técnica peculiar utilizada para ilustrar. Colagens vibrantes a partir de papéis previamente pintados pelo artista. Fundo branco que destaca os elementos.

Comida. Crianças (e adultos como eu) adoram imagens de comida.


Repetição, jogo de acumulação, passagem do tempo e contagem. A lagarta comia na segunda, na terça, na quarta e assim por diante. A cada dia um pouco mais, uma maçã na segunda, duas peras na terça, três ameixas na quarta, até chegar a cinco.

Transformação: Ao final de uma semana a lagarta já não era pequena e esfomeada, tinha ficado grande e gorducha.

Construiu seu pequeno casulo e duas semanas depois, nova transformação.


A edição ficou linda, com muitas surpresas e engenhosidade.

O Lucas ama, e eu mais ainda, então para preservar nossa lagartinha, por enquanto fazemos apenas visitas guiadas ao interior do livro.


Para os bebês ingressarem no mundo da lagarta tem uma versão especial do livro, o baby book. Cartonado e com uma alça removível para que as pequenas mãozinhas possam levar o livro para todo lado.


Aproveitando as imagens vibrantes do livro original alguns elementos são agrupados por cores.



A medida que a criança vai crescendo, as versões do livro também!

 Está é para a fase que a criança já pede uma história e não só livros com palavras.
Ele é cartonado, então crianças bem pequenas podem brincar com ele sem problemas!

 E tem vários elementos diferentes como as páginas que vão crescendo de tamanho a medida que o número de comidas aumenta 

e todas elas tem um furinho de verdade!
Isso é ótimo para se passar os dedinhos, explorando essa cavidade e quando a criança tiver um pouco maior...
 
Pode-se brincar de passar uma fita mimosa ou cadarço por entre os buraquinhos, trabalhando a coordenação motora fina.

Quando meus kids, Gisele, eram pequenos não havia a versão traduzida. Um dia, quando fomos passear na Livraria Cultura, achamos essa versão, com adesivos. Não reparem o estado! Foi o livro favorito do Cássio por meses.

 Ele tinha 3 anos e amou!

 Colou ele mesmo as figurinhas, onde quis.

 E "traduziu" um pedaço da história. Está cheio de fitas adesivas, pois o livro, como era muito lido, perdia as folhas de vez em quando.

Sorte que agora temos as versões lindas da Callis, todas traduzidas! Amamos de paixão!

Comentários

Veja também

Mostrar mais