Uma porta para outra dimensão :: O poder das palavras.

Toda história tem um começo não é verdade? A história do mundo, da origem, de onde você veio, do passado, do século anterior, do anticristo, do cristianismo... A história do século... Várias histórias, inclusive a minha por exemplo que começa há muitos e muitos anos atrás... "Atrás de onde? podem me perguntar vocês. E eu responderei: atrás de hoje. Ontem. Antes de anteontem. Longe, na minha memória: lá é o tempo e o espaço da minha história. Eu vou morrer algum dia, porque tudo que nasce também morre: bicho, planta, mulher, homem. Mas histórias podem durar depois de nós. Basta apenas que sejam postas em folhas de papel e que suas letras mortas sejam ressuscitadas por olhos que saibam ler. " (trecho tirado do livro "A menina que fez a América").
Esse livro não foi citado a toa, nem está ali a toa como imagem principal... Esse livro é um tesouro mais que precioso que eu ganhei na infância de presente de aniversario de um amigo do meu pai.  Vocês vão descobrir porque ele é tão precioso assim no decorrer desse post.
Todos meus aniversários eu ganhava brinquedos, mas em um aniversario meu de apenas 5 anos uma coisa bem rara aconteceu: eu ganhei esse livro aí! Eu me senti estranha, como se alguém tivesse acabado de me dar uma coisa bem misteriosa. Minha mãe e meu pai nem deram um ó pra esse livro... Ele ficou lá exposto no hack do meu quarto por um tempo... E eu estava com medo de encará-lo... Mas, curiosa demais pra saber o que ele tinha pra contar... Foi quando tomei coragem o suficiente pra lê-lo... Então avancei pra página 5, o primeiro capitulo: "Vou contar". Quando eu acabei de ler o primeiro capítulo eu juro que tive que reler... E reli mais vezes... E mais vezes... E mais vezes... Que até decorei. Até apresentei uma vez na escola num trabalho de literatura. O primeiro capítulo é tão mágico! Veja se vocês conseguem enxergar a magia dele:


Conseguiu captar a magia nesse tão pequeno texto? Imagina uma criança de 5 anos descobrindo que pode ressuscitar palavras mortas sobre um papel? Nossa (!!!)  aquilo pra mim foi uma mágica, uma porta que me levou pra outra dimensão. Tudo que eu queria naquele momento era saber o que me esperava entre as páginas desse livro... E eu fui lendo até o final e aprendi um bocado de coisas... E assim começou a minha santa jornada na literatura, eu queria ler, ler e ler livros e mais livros. Sou amante dos livros! O fruto deles é reconhecer o que eles ensinam a gente.
Um trecho ótimo de um dos livros que já li é:
"Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe: "Que tamanho tem o universo?". Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu: "O universo tem o tamanho do seu mundo". Perturbada, ela novamente indagou: "Que tamanho tem meu mundo?". O pensador respondeu: "Tem o tamanho dos seus sonhos".
 Quando se aprende a ler e a mergulhar nos livros, nós se teleportamos para um mundo realmente incrível. É incrível como uma simples palavras sob um papel faz tanta mágica sob nós, não é mesmo?
Eu já perdi as contas de quantas vezes ri, gargalhei, chorei, fiquei com medo, tive crise de stress, tremi de pavor, passei noites sem dormir... tudo por causa dos livros. Já até fiquei com um vazio quando eu acabava de ler um livro e ficava triste porque tudo aquilo de repente acabou... Já até reli varias vezes um livro e me emocionei varias vezes com a mesma história.
Hoje em dia assim, como muitas de vocês que seguem esse blog, passo esse gostinho de gostar de literatura pra muita gente: pros meus filhos, primos, família, amigos e afins. Afinal, existe coisa mais mágica do que ressuscitar palavras sobre um papel? E como diz o Monteiro Lobato:
"Quem não lê, mal fala, mal ouve e mal vê"
E pra quem se interessou no livro "A menina que fez a América". É um livro que recomendo para todas as idades. Ele mistura tudo: história, geografia, aventura, conhecimento, curiosidades, pensamentos e muito aprendizado. Cada capítulo é um sucesso. Autora: Ilka Brunhilde Laurito, Illustração: Claudia Scatamacchia. Editora FTD. O Livro ganhou o prêmio Jabuti de 1990 e Prêmio Adolfo Aizen - UBE - RJ - 1991.



Se vocês do blog não se importarem, eu adoro finalizar uma postagem de pensamentos assim, com uma poesia que assim como o livro, eu coloro a minha vida.

Vida Colorida

Ao entrar no meu quarto
Milhares de folhas brancas notei
Estavam esparramadas no chão
Com um forte barulho assustei

Olhei e vi uma coisa anormal
Se era fantasma eu não sei
Só sei que estava me dando algo
Estendi meus braços e peguei

A caixinha tinha lápis
Lápis bem coloridos
Em todos eles tinha escrito
Colora sua vida comigo

Analisei a caixinha
Era realmente muito bonita
Nada tinha escrito nela
Que mistério ela me trazia?

Arrisquei-me
Um lápis vermelho eu peguei
Seguindo a instruções
Num papel com ele eu desenhei

Desenhei um coração
Acabei de colorir
Uma paixão então nasceu
E começou a usufruir

Peguei então a caixinha
As folhas brancas guardei
Ganhei uma coisa valiosa
Com ela minha vida colorirei

Luha Biha

Comentários

Veja também

Mostrar mais