Pedro Noite, ser negro é...ser branco é....

Há anos atrás, quando meu filho entrou na escola, ele devia ter uns 3 anos, ele me fez uma pergunta, que me pegou totalmente de surpresa!

- Por que o filho da Fulana tinha nascido da cor errada?

É uma amiga nossa que é negra.
Eu estava dirigindo e quase bati o carro! Como assim, cor errada? 

Expliquei que a cor da pele das crianças dependia da cor da pele dos pais e dos avós. Por exemplo da parte de pai: Uma das avó da avó dele (do Cássio) era negra e outra índia. Daí casaram com homens com pele mais clara e foram misturando a cor. 
Ele entendeu.

E fizemos a seguinte experiência na época (reproduzida agora para mostrar no blog):
Pedi pras crianças procurarem algo que fosse da cor branca. Depois colocamos nosso braços, lado a lado, e a folha (que eles escolheram) em cima. E aí? Nossa cor é realmente branca?
 Depois pedi para eles separarem as cores que eles consideravam "cor de pele" (odeio esse termo!) . Que coisa!! Nenhuma igual a pele deles!

Eu tenho pavor quando chamam rosa claro ou pêssego de "COR DE PELE!" Sempre expliquei pros meus alunos e filhos que está MUITO errado chamar qualquer cor deste jeito. Há dezenas (pra não dizer centenas) de tons de peles diferentes e nenhuma está certa ou errada, são apenas diferentes e todas lindas!

E por que estou falando sobre isso?
Porque eu tenho conversado com várias pessoas sobre discriminação e como a volta da novela Carrossel tem mexido com as crianças, de novo.
Ouvi vários relatos de crianças que, de uma hora pra outra, começaram a dizer que não gostam de negros e que não sentam na mesma mesa com negros, como fala uma das personagens desta tele novela. 

A Ceci me fala que as colegas dela assistem. Aqui em casa não vemos, porque simplesmente não temos TV, só um computador onde colocamos dvds, escolhidos por mim e pelo meu marido. Novela pra criança, nem pensar!

E com o Carrossel reabre a discussão que criança não deve assistir TV sem supervisão de um adulto para explicar o que está acontecendo e o que é errado.  

Para trabalhar esse assunto estamos lendo o livro: 
 PEDRO NOITE de CAIO RITER e ilustrações de MATEUS RIOS. Editora: Biruta, ISBN: 9788578480561
É a história do menino Pedro que foi adotado pela vó Cida, que o amava muito. 
Apesar de ser muito amado ele era muito infeliz. Pedro não se reconhecia no retrato que tinha em casa. 
 E a tristeza só aumentava pelo tratamento que recebia dos meninos que sempre o chamavam de sujo, entre outras coisas.
Ele chorava, chorava até de mais!
Vó Cida o confortava dizendo que ele tinha cor da noite, sorriso de lua e olhos de estrela... Mas ele tinha em seu coração um canto triste, um lamento, que o fazia cantar palavras estranhas...
 Foi só quando ouviu as histórias que o velho Juvenal tinha pra contar, que ele começou a entender de onde vinha aquela cor de pele, quem eram seus heroicos ancestrais, sobre escravidão, lutas, sofrimentos, lamentos  e palavras diferentes como OMOKÙNRIN, GBÒRÍN, AYÓ, entre outras!

É a história, muito sensível, de Pedro, que tem boca de lua, olhos de estrela e pele cor de noite, descobrindo seu passado e encontrando-se.

No final do livro existe um glossário com a tradução de palavras usadas no texto, da cultura Yorybá.

O livro é todo em forma de poesia lindamente escrito e ricamente ilustrado.
A combinação perfeita que o fez ganharganhou o prêmio "Os 30 melhores livros infantis do ano" promovido pela Revista Crescer, da Editora Globo, em, maio deste ano.
Dos 30 ganhadores, 29 livros foram selecionados por uma equipe de especialistas e 1 foi escolhido pelo voto popular no site da Revista Crescer. 

Pedro Noite foi o livro mais votado pelos leitores, legal né!?! Não deixe de ler!


Comentários

  1. Bah, muito bacana tudo isso. E bom saber que o Pedro faz parte desta construção. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Caio! A história é linda! Parabéns!!
      bjão dos seus fãs, gisele e kids

      Excluir
  2. Adorei o post, Gi! Como eu queria que todos os pais abordassem este tema como você abordou com seus filhos... isto anda em falta ultimamente, uma explicação melhor por parte dos pais, para que as crianças não cresçam com a ideia errada de que pessoas de "cores" diferentes da sua devam ser tratadas de forma diferente!
    Quanto ao livro, parece ser lindo! Já deixei o nome anotado aqui, pra eu presentear minha sobrinha com ele quando ela tiver um pouco mais de idade... :)
    Bjus!
    Paty Algayer - http://www.magicaliteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty. Obrigada pelo carinho.
      Esse livro vale muito a pena. O testo todo em poesia nos emociona e as ilustrações são lindíssimas. Alem do tema que é maravilhoso e tratado sensivelmente pelo Caio Riter. Merecedor de diversos prêmios! E com certeza um MUST HAVE na estante de qualquer criança!
      Abração, gi e kids

      Excluir
  3. Olá Gi!!!! É muito bom ver vc disseminando ideias maravilhosas como essa. As pessoas estão se perdendo demais na educação dos filhos. Sou professora e vejo muito isso. Te parabenizo pela coragem de viver sem TV, desde que o meu filho nasceu vivo pensando sobre o que ele deve assistir e ficar com a TV ligada com criança por perto é sempre perigosíssimo, eles absorvem tudo e muito rápido. Ainda bem que, por enquanto ele nem se interessa, a não ser qd houve música, e diga-se de passagem ele tem muito bom gosto, só gosta de música boa. Outro dia quis ouvir Adele para dormir, e só tem 1 ano e 7 meses. Rsrsrrsrs. Por isso estou fazendo uma videoteca para ele com filmes e clássicos infantis.
    Prabéns e sucesso!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrícia.
      Sabe, quando meu filho tinha 2 anos (6 anos atrás) ele viu na tv a notícia da queda do avião, lá no norte do Brasil. Ele ficou impressionadíssimo e ficava falando "O FAU* CAIU!" *Fau na época era avião pra ele. Repetiu isso umas 50 vezes seguida. Olhava pro céu e apontava e repetia "N" vezes isso. A partir daí, não vimos mais tv em casa, pelo menos até ele estar dormindo no quarto dele. Ficou impressionadíssimo e chorava, até os 6 - 7 anos, quando mencionávamos ir de avião visitar uns parentes que moram em outros estados do Brasil.
      Muita gente me critica por que acham que os tiro da realidade, que na escola vão comentar e falar a respeito de tudo.
      Eu acho a tv muito vulgarizada e com excesso de violência. Ok, sim, sim, ele vai ouvir que um pai atirou a filha pela janela, que alguém entrou numa escola e atirou nos alunos, que explodiram torres em algum lugar do mundo, mas serão pequenas parcelas de violência e não doses diárias! E falo que isso não é normal, que são fatos isolados de gente fora da casinha. ACHO que na infância eles devem ser minados com coisas boas, para crescerem querendo fazer coisas boas.E quando houver violência e injustiça que saibam que está errado e que não e´uma cosia banal.
      Acho música uma cosia divina! Infelizmente não tenho aptidões musicais, mas meus filhos amam e coloquei o mais velho no piano, este ano e ele está amando.
      O que precisar é só pedir, falar que estou as ordens!
      Bjos, gi e kids

      Excluir

Postar um comentário

Oi. Bom te ver por aqui! Responderemos o mais breve possível. :)

Veja também

Mostrar mais