O Túnel


De Anthony Browne, editora Pequena Zahar.
O autor nos conta a história de dois irmãos bem diferentes (como a maioria dos irmãos).
Um menino extrovertido, brincalhão e uma menina introspectiva, sonhadora.

À noite, enquanto ele dormia tranquilamente, ela ficava acordada ouvindo os barulhos da noite, com medo do escuro. Ele sabendo disso, ia até lá, assustá-la.

Com tantas diferenças, só podiam estar sempre brigando e gritando um com o outro. A mãe, cansada das discussões mandou-os brincar juntos na rua. 
E foi aí que o irmão encontrou um túnel. Ele entrou e convidou-a a ir junto mas ela não quis, tinha medo do que poderia haver do outro lado.
Depois de muito esperar pelo irmão e sabendo que ele não voltaria, decidiu enfrentar seu medo e ir atrás dele.

O túnel era escuro, úmido e com lodo. Do outro lado, um bosque que logo se transformou numa floresta assustadora. Ela começou a correr o mais rápido que pode.

Quando não conseguia mais correr de tão cansada, chegou numa clareira e lá estava seu irmão, imóvel como uma pedra.

Será que a irmã conseguiu salvá-lo? 
Uma história sobre superar as diferenças, sobre o que é mais importante, o amor.
Ótimo livro para quem tem mais de um filho e enfrenta dia a dia as reclamações do tipo "mamãe, ele quebrou minha boneca" "mãe, ela não quer me dar o lápis amarelo" e por aí vai. Sabemos que um dia serão os melhores amigos, mas por enquanto precisamos incentivar a convivência pacífica.
No final do livro podemos levar as crianças a refletir sobre as características de cada um.

Sobre o autor
"É um dos mais consagrados autores de livros infantis da atualidade. Nascido em Sheffield, na Inglaterra, cursou a Escola de Arte de Leeds. Por sua contribuição como ilustrador infantil, foi agraciado em 2000 com o prêmio Hans Christian Andersen, o mais alto reconhecimento internacional para criadores de livros infantis. Foi nomeado Children's Laureate entre 2009 e 2011. Suas aquarelas fortemente narrativas misturam realismo quase fotográfico com fantasia, toques surreais e trocadilhos visuais engenhosos. Extremamente habilidoso com cores, texturas e detalhes, transmite sutilmente em suas ilustrações uma empatia requintada para seus personagens solitários e sensíveis (tanto humanos como macacos). Os gorilas são comuns em muitos dos cerca de quarenta livros publicados pelo autor, que se diz fascinado pelo contraste entre força bruta e gentileza que esses animais reúnem."

Comentários

Veja também

Mostrar mais