Mãe, Cris Guerra, Editora Miguilim

Você também passou a ver o MUNDO inteiro de forma diferente depois que se tornou mãe? Então, assim como eu, você se identificará com este livro.
 
Eu concordo com a jornalista e escritora Leila Ferreira, "até ler este livro eu achava que mãe era uma palavra sem sinônimo". Mas Cris escreveu com alma, e foi de lá que ela trouxe cada sentimento e cada sílaba que aparecem neste livro. Ela traduziu o intraduzível. E fica difícil a gente não se emocionar e pensar: como é que ela conseguiu dizer tanto em tão poucas linhas. 
Das certezas que habitam em cada um de nós, duas delas são imutáveis: uma, que todo mundo ama uma certa mãe; e a outra, que ninguém quer perdê-la. A obra escrita por Cris Guerra, vai muito além de uma homenagem ao ser vivo mais fascinante do planeta.
Ilustrado por Anna Cunha, o livro tem uma sinergia tão forte entre as folhas graciosamente desenhadas em giz e o magnetismo das palavras de Cris, que cada passagem de página vai se tornar uma lembrança boa, impregnando as frases na mente como a saudade de ser criança. 
 
Trago aqui para vocês, alguns trechos pequenos deste lindíssimo livro. "Dizem que quando nasce um bebê, nasce uma mãe." E observem o verdadeiro encanto que são estas ilustrações. O livro se torna ainda mais maravilhoso com esta dupla perfeita, Cris autora e Anna ilustradora. O texto que toca bem fundo no coração do leitor, e a ilustração toda em giz que é um incrível convite para seguirmos. 
 
Ser mãe é se identificar de imediato com este trecho, afirmando que "quando nasce uma mãe, nasce várias coisas... "um polvo. Um restaurante delivery..."
 
E principalmente, nasce a fada do beijo.
 
Quando nasce um bebê, nasce também o medo da morte
 
E o mais real e concreto pra mim, foi ler o trecho, "não pense você que ao se tornar mãe uma mulher abandona todas as mulheres que já foi um dia. Bobagem. Ganha mais mulheres em si mesma. Com seus desejos aumenta sua audácia, sua garra, seus poderes."... "mães são fogo, ninguém segura. Capazes de matar tudo o que zumbis perto de suas crias" 
 
"E mães cobrem seus filhos com cobertor que lhes falta"
 
 
"E nunca estarão prontas para a tarefa gigantesca que é criar um filho"
 
"Nas horas vagas, dorme, abastece a casa, lê ou adormece com um livro no rosto".
 
"Os filhos fazem a mãe voltar os olhos para coisas que não importavam antes. O índice de umidade do ar, os ingredientes, do suco de caixinha, o nível de sódio do macarrão sem glúten."
 
"Onde fica a Guiné-Bissau."
 
"Mães são mulheres ressuscitados, filhos as rejuvenescem, tornando suas vidas mais perigosas - e mais urgentes."
 
"Quando nasce um bebê, nasce uma empreiteira, capaz de cavar a estrada quando não há caminho, só para poder indicar, por ali, filho, naquela direção." 
 
 
Registro aqui meu agradecimento a Editora Miguilim por inovar lançando um concurso em maio deste ano, promovendo seus novos livros, recém lançados, e ainda melhor, possibilitando que o participante presenteasse com um dos quatro livros do seu catálogo. Este aqui foi o livro que garantiu o meu prêmio.
Eu recebi os livros do concurso e mais este aqui, dois exemplares. Este é o meu, e outro para que eu entregue a minha linda grande amiga e parceira de atividades Silvana @casadeleitores
Ela que é mãe de tri, trigêmeos, a cada dia nos revela muito mais do que maneirasTRI de educar, e encantar-se por seus filhos. É um presente de Deus tê-los todos por perto da minha família, e presente ainda mais especial entregar em suas mãos este livro da Editora Miguilim.
Boa leitura para vocês também!

Comentários

Veja também

Mostrar mais