Shantala


Há uns meses uma amiga grávida, a Rosa, me convidou para fazer uma aula de Shantala. Para quem ainda não ouviu falar, Shantala é um tipo de massagem que as mães indianas fazem em seus bebês. 
Eu já tinha interesse no assunto e até ganhei o livro, mas com certeza foi muito mais estimulante ver a massagem ao vivo, pelas mãos da Mariana, numa roda de mães.
Tivemos uma tarde enriquecedora para as mulheres e principalmente para os bebês que, além do cuidado, interagiram uns com os outros antes e depois da aula.
A Mariana Wartchow, que ministra o curso, aceitou gentilmente responder a algumas perguntas sobre a massagem.

Oi, Mariana, fale um pouco sobre você.
Eu sou fisioterapeuta especializada em terapia Craniosacral e professora de Yoga. Pesquisei a Shantala na época da faculdade e desenvolvi a monografia sobre a técnica. Quando fui para a Índia, aproveitei para conhecer mais e ver ao vivo as mães fazendo por lá. Também sou artista, trabalho com desenho e escultura. Sou mãe de duas meninas.

O que é Shantala?
Shantala é uma massagem para bebês tradicional na Índia, foi observada por Frederick Leboyer e difundida no mundo.


No curso fizemos com óleo, posso usar qualquer um?
Ela é feita com óleo vegetal puro, geralmente de coco ou gergelim. É importante que ela seja feita com esse tipo de óleo, que se pode comer mesmo, pois a pele dos bebês absorve o que é aplicado nela. Como a Shantala é feita no corpo todo, é fundamental que não se utilize um óleo com essências ou ingredientes que possam intoxicar o bebê. A função do óleo é ajudar a mão a deslizar durante a massagem e também de nutrir a pele e fortalecer o corpo do bebê. O óleo de gergelim é rico em cálcio e o de coco acalma irritações na pele. Estes óleos podem até ser utilizados na troca de fraldas, substituindo as pomadas convencionais. Falei bastante sobre os óleos até aqui, pois este é um aspecto importante quando se pensa na Shantala, a ideia é mesmo de espalhar óleo pelo corpo.

Quais são as vantagens para o bebê?
Quanto as vantagens para o bebê, o óleo fortalece a pele, tornando-a mais resistente. Os movimentos sempre vão do centro para a periferia, favorecendo o desenvolvimento motor. O estímulo sensorial na pele e nas articulações também estimula o desenvolvimento motor, o toque firme aumenta o tônus do corpo, ajudando a fortalecer a musculatura, com isso o bebê adquire mais rapidamente o domínio de suas funções motoras. Mas o que vai muito além de tudo isso é a proximidade e o contato que se cria entre mãe e bebê durante a massagem, essa conversa que se constrói sem a necessidade de palavras, sentindo o corpo do bebê, do que ele gosta ou não, trazendo a nossa escuta para as mãos. A conversa também acontece no olhar... É um momento forte de vínculo, que pode curar distâncias e compensar dificuldades que possam ter sido vividas. Por exemplo, o parto natural é um momento de estímulo tátil intenso, quando este não pode ocorrer a Shantala ajuda a trazer esse estímulo, compensando o que não esteve presente naquele momento.

Quantas vezes por semana posso fazer a massagem?
Ela pode ser uma prática diária, sempre antes do banho. Ao final, o banho morno é fundamental, para se remover o excesso de óleo e contribuir para um relaxamento geral. Caso ela não entre na rotina diária, o máximo de vezes que for feita melhor! 

Com quantos meses posso começar a aplicá-la?
Antes de um mês a massagem é bem leve, sendo como uma carícia onde se aplica o óleo sobre a pele. Depois de completar um mês se inicia a sequência com uma boa pressão, e assim ela vai seguindo, podendo levar cada vez mais tempo. O período no qual o bebê ainda não se movimenta muito sozinho é quando a Shantala é mais importante, trazendo para o bebê aquele movimento que ele ainda não pode fazer, mas não tem idade para parar, depende só da aceitação da criança.

Tem alguma dica sobre o ambiente?
Quanto ao ambiente, ele deve estar aquecido o suficiente para a criança ficar bem sem roupas, podemos inclusive fazer ao sol, nos horários em que este é mais fraco... A mãe deve ficar numa posição confortável, utilizando almofadas ou o que sentir que lhe ajuda, sentando no chão de preferência, em função da liberdade de movimento. 


Quem é de Porto Alegre e cidades vizinhas pode aproveitar para conhecer ao vivo, vai ter um novo encontro dia 26 de novembro no espaço Flor do Yoga, fone: 5196769812
Para saber mais acesse: Flor do Yoga


Fotos de Tati Santini


Na foto a turma toda, Isaac, Akin, Lucas e a Jasmin.
Em um próximo post falarei sobre o livro.
Conhece algum curso de Shantala na sua cidade? Deixe nos comentários para ajudar a divulgar.

Comentários

Veja também

Mostrar mais