Brincando com fogo (cuidadosamente).

No início da semana brincamos com o livro e O Incrível álbum de Picolina, a pulga viajante. Fomos explorar o nosso jardim e a Cecília usou uma lupa para poder ver as maravilhas da natureza com todos seus detalhes. 
Vendo-a com a lupa tão animada, fui ensiná-la a fazer fogo usando a luz do sol. 

1. Pegamos uma folha grande e seca.
2. Não havia vento (isso é importante pra não espalhar a chama)
3 Fomos pro meio fio longe de tudo.
4.Tínhamos levado uma garrafinha Pet de 600ml cheia de água para qualquer emergência.
5. Seguramos a lupa virada pro sol até formar um pequeno ponto de luz na folha. 
6. Com paciência tentamos fazer esse ponto luminoso ficar bem estável, no mesmo lugar e do mesmo tamanho.
7. Assim que começou a sair uma fumaça paramos. Cecília ficou radiante.
8. Jogamos água na folha.
9. Repetimos tudo de novo até a fumaça virar uma chama bem pequena.
10. Jogamos água de novo e fomos pra casa estudar o que fizemos!

Parte científica:
Pesquisamos na internet e fizemos um resumo...
A luz emitida pelo sol é composta de fótons, pequenos pacotes de energia eletromagnética. Os fótons se comportam tanto como partículas, quanto ondas. Esta qualidade é importante, porque significa que eles são refratados quando passam por diferentes meios (como água, vidro, etc...).
A lente de uma lupa é curvada para refratar (quebrar ou desviar a direção de) partículas de luz de tal forma que o olho percebe uma imagem maior. O que fizemos foi usar essa lupa para que os raios de luz mudassem de ângulo à medida que passavam através da lente e se encontravam em um ponto específico, concentrando a energia dos fótons um único local produzindo um calor muito maior do que o calor que sentimos em nosso pele ao sol. Resultado da pesquisa: A combinação de um material combustível (seco como uma folha), quando exposto ao calor (que fizemos ficar intenso com a lupa) e uma fonte de oxigênio (ar que respiramos), produz o fogo.

Falamos dos perigos:
E claro que falamos sobre o perigo de se descartar garrafas e outros lixos nas ruas, estradas e florestas. Um caco de vidro pode atear fogo num mato e causar o grande estrago, matando as pessoas, a vegetação e os animais que vivem lá.
Falamos de como temos que ser responsáveis, embora ela tenha aprendido a fazer fogo, não é pra sair brincando com isso. Que fogo queima, mata até. É dolorido, deixa marcas e cicatrizes. 
Dicas de segurança:
Nunca cozinhar sem a presença de um adulto.
Não brinque na cozinha quando alguém está cozinhando.
Manter toalhas e outros coisas inflamáveis longe do fogão, lareiras e aquecedores.
Nunca coloque roupas ou outras coisas inflamáveis em cima de lâmpadas.
Não ligue muitos itens em uma única tomada elétrica.
Nunca brincar com fósforos ou isqueiros!
 
Evite queimaduras: nunca jogar/brincar em torno de um fogão, lareira ou aquecedor. 
Caso sua roupa pegue fogo. Pare, deite-se no chão e role até o fogo apagar. 

Falamos muito mais coisas, claro. Mas o básico é isso.

Sei que muitos vão achar que fiz uma coisa horrível, mas acho que estar presente e matar a curiosidade da criança faça com que o que é proibido, não seja tão atraente. Não sei se me fiz entender... Mas ela disse que foi a coisa mais legal que eu ensinei pra ela. E olha que eu ensinei muitas coisas, como: ler, escrever o próprio nome, as primeiras letras e números, a usar o penico e depois o vaso, a caminhar, a falar, a andar de bicicleta, a comer sozinha e preparar o próprio lanche, etc... Mas aprender a fazer fogo é uma coisa mais ancestral... um fascínio primitivo que temos. 
"Foi ao redor da fogueira que as famílias se reuni­ram, que a Humanidade aperfei­çoou a fala, criou canções e ex­plorou os mistérios. À roda delas, as pessoas aqueciam-se com as mãos em concha e conversavam, olhando as chamas. O fogo é  hipnótico. " Fonte (O poder atrativo do fogo)

E assim mais um mistério da natureza foi apresentado para minha filha. :)

Veja também

Mostrar mais