Amélia e o Peixe


Hoje chegou aqui no blog um livro que fala de afeto. E da vontade louca que temos, de vez em quando, de pegarmos aquela flor bonita na rua, aquele passarinho que canta na árvore...

Amélia conhece um novo amigo: um peixinho. Eles brincam juntos o dia inteiro, porém à tardezinha, ele volta pro fundo da imensidão do mar.

Isso acontece tooodo dia e a guria

não quer mais se separar do novo amigo e bola um plano pra levá-lo pra casa. O livro mostra que não podemos forçar ninguém a gostar da gente. E se tentarmos forçar, o afeto morre. As ilustrações são uma delicadeza, com cores suaves, lápis e colagens. Amo esses tons de areia e turquesa quando aparecem juntos!

Mas, quando a Amélia pensa em fazer algo de errado as cores mudam: tornam-se mais escuras e densas e até o cheiro do mar muda! Lindo, dinâmico e sensível.

Como já falei, amo as cores creme com turquesa. Aproveitando-as fomos fazer alguns peixes pra enfeitar nosso mar. 
O CÉU É O MAR DE BRASÍLIA, dizem por aqui.

Então, lá vai:

Pegamos algumas folhas de um livro velho que compramos num sebo. Separamos 4 e pintamos uma com tinta acrílica turquesa. Partes aguadas e partes com mais pinta mesmo. As outras 3 cortamos em formato de peixes.

 Quando a folha pintada secou, cortamos, círculos, com um furador de papel. Em seguida dobramos pela metade todos os círculos, com a parte pintada pra dentro. 
Com cola bastão, fomos colando no corpo do peixe.


 Colamos no vidro da janela.

 De dia. Pena que está nublado. Queria mostrar pra vocês os peixes no céu azul.

Colamos outros pedaços de papel atrás, para serem vistos na luz. São pedaços das páginas que recortamos os peixes.

Nosso mar de dia.
 Meu mar à noite!
Fica a dica. Boa leitura!

Comentários

Veja também

Mostrar mais