UMA CASA NO MEIO DO CAMINHO

UMA CASA NO MEIO DO CAMINHO - Como a amizade com uma velhinha durona mudou a minha vida. De Barry Martin com Philip Lerman. Editora: Sextante. ISBN: 9788543101644.

Livro que inspirou a animação UP: Altas Aventuras. 

Sinopse oficial: 

"“Muitas vezes o amor surge onde menos se espera e mais é necessário. Este livro encantador é um testemunho do poder da amizade, por mais diferentes que os amigos sejam. Não consegui parar de lê-lo.” – Dr. David Dosa, autor de O incrível dom de Oscar.

Um enorme shopping estava prestes a ser construído na cidade americana de Seattle, mas no meio do terreno havia a casinha de Edith Wilson Macefield, uma velhinha durona que estava decidida a não arredar pé dali. Quando o responsável pela obra, Barry Martin, foi conversar com ela, todos acreditaram que iria convencê-la a mudar de ideia. Mas estavam redondamente enganados.
Nesta emocionante e singela história real — que serviu de inspiração para uma campanha de divulgação do filme Up: Altas aventuras —, Barry conta como nasceu a inusitada amizade entre ele e Edith, e as lições de vida que aprendeu com ela.

 
 "Este relato encantador nos lembra de que, na correria do dia a dia, podemos de repente virar uma esquina e encontrar um desconhecido que vai nos fazer compreender nosso lugar e nosso propósito no mundo de forma mais profunda. Uma casa no meio do caminho é a prova de que compartilhar nossa humanidade é muito mais importante do que se preocupar com o que é diferente de nós.” – Don J. Synder, romancista best-seller "

 Eu achei...
O livro é muito fácil de ler, flui. Barry nos mostra como pouco a pouco, e sem perceber, ele ficou totalmente envolvido pela Edith a ponto de mudar a forma como ele tratava os próprios pais e como ele se relacionava com os filhos. Me faz pensar nas pessoas de mais idade do meu convívio e como tenho as tratado até hoje. Nunca com falta de respeito, claro. Mas como fazer para que elas se sintam mais valorizadas? E menos infantilizadas por nós. Pra ajudar as vezes corremos e fazemos as coisas por elas, ou então nem damos a chance delas escolherem o que realmente querem e impomos o nosso ritmo, ou vontade, para ser mais fácil para nós mesmos. Adorei as percepções e dúvidas do Barry, de como ele aprendeu a se relacionar com a velhinha, fazendo-a sentir-se no controle de sua vida até o fim. Recomendo muito a leitura.

No final da leitura fui ver a animação Up! Altas Aventuras novamente! :)

Comentários

Veja também

Mostrar mais