Dicas para ententer crianças presas em casa


F de livro! F de FONTES! 

Todo livro tem letras, mesmo os livros-imagem têm título, ISBN, ficha catalográfica e precisamos de fontes pra escrever tudo isso.

Você já parou pra ver os tipos de fontes que mais lhe agradam? Aquela fonte que facilita a leitura de textos graaandes, ou aquela outra fonte que é enorme e você pode ler mesmo na mão de uma criança balançando o livro? Ou aquelas fontes que de tão pequenas e com cores claras tornam a leitura quase impossível, se não tiver uma certa luz ou o livro num certo ângulo, ninguém lê (e não tem a ver com idade, não!)… 

 As fontes estão em todos os livros e são super importantes. Pode até parecer algo banal, mas, focando nos livros infantis, eles dão vida e ajudam a contar a história junto com a ilustração e o texto. Podem potencializar a leitura ou dificultá-la (muito).


Não é qualquer fonte que cabe em qualquer lugar. Precisa combinar com o projeto gráfico, com o estilo da ilustração, precisa ter uma cor que não confunda e se misture com o fundo e que não dificulte a leitura, mas ao mesmo tempo não pode saltar do livro ( a não ser que seja o objetivo do designer ou do texto). A fonte não pode pesar na página, nem sofrer cortes indesejados. 

Ela precisa estar em harmonia com o todo, potencializando a experiência de leitura. Poucas pessoas se quer notam a tipografia, você já reparou em fontes e foi procurar no livro pra saber qual era? Você pode ver no colofão (veja o #cdelivro ou #abcdolivroki, lá no www.instagram.com/kidsindoors, pra ver onde isso fica) do livro. Mas geralmente ninguém da bola, não. 
Eu dou. 
Hehehe


E não é só escolher uma fonte, precisa ver o tamanho, a distância que as letras vão ficar entre si, a distância que cada palavra vai ficar separada da outra (dos lados, em cima e em baixo também). Precisa pensar se ela deve ser inclinada ou bold (mais forte e grossa), com serifa (pezinhos – que tem origem na letra emendada), que parece juntar mais as letras para uma leitura mais fluida.


 As fontes também são escolhidas visando o perfil dos leitores para aquele livro (não que seja algo fechado), se o livro é para crianças no início de alfabetização ou com dificuldade visual, se prioriza fontes em caixa alta, espaçamento maior, que permita uma leitura calma, que beneficia a leitura. 

Já num livro de transição as fontes podem ser usadas como ilustração (principalmente as onomatopeias), já que cria uma mancha gráfica, o autor/designer joga e brinca como imagem. Pode-se combinar de fontes: 

entra com outra fonte pra mudar o narrador, ou quebrar a sequência visual e verbal, tornando a leitura mais dinâmica.

Uma fonte mais divertida e bagunçada não combina com um texto sério ou uma narrativa gótica, por exemplo. 

Muitos autores criam suas próprias fontes e, assim como marca, basta ver uma letra pra saber de quem é a fonte ou de qual autor o livro pertence, trago o exemplo do alfabeto do Oliver Jeffers. E você? 


Tem uma fonte favorita? 
A minha atualmente é a LUNCH BOX. 
Conhece?

É com muita alegria que venho aqui te contar: sou uma das autoras do projeto #adoteumescritor, da Secretaria Municipal da Educação de Porto Alegre.

Adote a GISELE FEDERIZZI BARCELLOS!

Meus livros são para crianças em idade pré leitoras e leitoras iniciais.


Do programa: "A lista com os autores selecionados e suas respectivas obras foram enviadas às escolas, que apontarão cinco opções de autores, por ordem de preferência. Em seguida, a secretaria irá organizar a distribuição das visitas às escolas, que é a essência do programa, depois de alunos e professores trabalharem os livros do autor adotado durante o ano. A partir daí, as editoras e distribuidoras participantes do programa deverão ofertar os livros dos autores adotados diretamente às escolas, que poderão adquirir obras também para os acervos das bibliotecas escolares."

Monstrorante de 2016- ilustração e texto meu.

Voos - texto de Alessandra Roscoe e ilustrações minhas. da Ciranda Cultural.

Bruxa Cascucha, de Josiane Teixeira dos Santos e ilustrações minhas. Editora Cuore

A Menina do Cabelo Roxo Esconde-Esconde em Porto Alegre, texto de  Léia Cassol e ilustrações minhas, da editora Cassol.


 A Menina do Cabelo Roxo e o Principezinho, texto de  Léia Cassol e ilustrações minhas, da editora Cassol.

E como sou escritora e autora de imagens! Estes são os livros que vou compartilhar com os alunos!


Conhece alguma professora daqui do RS? Marque ela no post ou compartilhe! Vou amar conversar e ler com as kids!

Tô tri feliz de fazer parte e dividir minha paixão diretamente com os alunos e professores! 🥰
Obaaaaa! Novo livro da @martaltes, traduzido pela Gilda de Aquino e publicado pela MA RA VI LHO SA @brinquebook !!!! 

 Os livros da Marta são daquele tipo que você precisa prestar muita atenção (como em todos, né?!)!!! 

 A história já começa na capa! 

O livro traz a narrativa pelo olhos da criança.

 Ela questiona a relação do pai com o tempo e como ele vive repetindo algo que não tem sentido: não temos tempo!
O tempo é apresentado na forma de rotina, do nascimento das plantas, nos relógios espalhados pelas cenas (no pulso, na parede, no despertador,...)

 Ele vai mostrar pros leitores e pro próprio pai como ele e o irmão entendem MUITO sobre horas, minutos e segundos! 

E ainda traz um conceito de família fora do "tradicional papai, mamãe e filhinhos". Vemos um pai e duas crianças! 

Um livro fofo sobre nossa rotina louca que, na maioria das vezes, não respeita o tempo da criança! Amamos! 🥰

Completamente apaixonada por este livro!

 É a história de uma neta que, durante o aniversário da vó, começa a observá-la. A neta se dá conta de que nunca sabe o que a avó está pensando, sentindo em função de todas as linhas do seu rosto. 

Então ela questiona a vó: o que são essas linhas? A Nana responde que são memórias. A guria desconfiada pergunta mas 


"Que memória é esta aqui?", aponta para uma uma linha e avó fala só uma de um certo acontecimento.


Ao virarmos a página, vemos como o evento foi de fato. As cenas são longe de perfeitas e idealizadas, como o leitor pode ter achado, na frase da avó. 

Mas vemos que há sempre a irmã junto, cúmplices. 


É muito lindo. 

Tanto as lembranças, quanto o encontro da neta com avó e também a delicadeza que trata a memória e velhice. Muito afeto, muito carinho.


 Já entrou pros top 10 do ano! 

 As Ilustrações são liiindas e delicadas. Amamos!

De @simonaciraolo, traduzido pela @aliceruizs, com quarta capa de @anamariamachado236 e publicado pela @ftdeducacao#EuAmoLerFTD

Super recomendo!!! Ah! E tem cupom de desconto KIDSINDOORS20, no site da #FTD.

 Oiiii. 


Faz tempo que não postamos por aqui... Faz tempo que a gente não lança um vídeo no canal!



Eu amo o trabalho da Lygia Clark e sei que ela tinha o desejo que todos pudesse ter um BICHO em casa. Ela trabalhava pra desmistificar a arte e o artista, assim, após ler o livro


LYGIA CLARK - Linhas Vivas, de Renata Sant´Anna e Valquíria Prates, das Paulinas. Eu resolvi procurar um jeito de tornar e fazer um Bicho da Lygia de maneira artesanal, caseira e mais acessível.

Para comprar o livro: https://amzn.to/3v4boxw 

Em seguida produzi um dos BICHOS dela, utilizando materiais que você encontra em casa.

E tem mais...

Um Bônus: criamos outros BICHOS (inventados), com outros materiais reciclados.  

Para ver o vídeo e aprender a fazer os Bichos: https://youtu.be/BhnyfDEn7IE

VEJA E ME CONTA O QUE ACHOU!

Até o próximo vídeo!

 

Já estão sabendo do novo movimento literário?



Todos os IGs de literatura estão transformando seus livros e histórias mais queridas em livros pró vacina!

É uma brincadeira séria!

Basta substituir ou acrescentar as palavras VACINA, VACINADOS, VACINAÇÃO, derivados e afins.

Chame as kids e não deixe de nos marcar (@kidsindoors) nas tuas fotos!  Vamos ajudar compartilhando-as nas nossas redes sociais também! 


Fiquem em casa, se possível e se cuidem!


Estamos vivendo em casa, presos, há mais de um ano. Que saudade de andar pela cidade, né?

Quero mostrar o livro da Renata Bueno, MONSTROS URBANOS, publicado pela WMF Martins Fontes!
As kids amam!

Um dia ela saiu caminhando pela cidade e viu tantos monstros! Com sua câmera clicou a cidade e em casa completou a brincadeira e agora temos um livro brincante!

Quantas vezes não olhamos para uma mancha e vemos um rosto ali, ou outra forma mais conhecida?

Bem, foi isso que ela fez, viu monstros onde outros veriam manchas, ou descascados ou rachaduras.

Que tal, da tua janela mesmo, tirar umas fotos dos prédios, das sombras e transformá-las em monstros também? Acredito que as kids vão gostar de olhar para as coisas de outras formas!



Você já conhece o movimento #bookfacefriday ?


Pessoas de tooodo mundo, na sexta-feira, usam a imagem da capa ou qualquer ilustração do livro pra tirar uma foto completando a imagem com seu próprio corpo. Geralmente são usadas capas com rostos. Mas nada impede do teu rosto aparecer e você completar a imagem de um corpo ou parte deles. É muito divertido. 


Hoje temos MAIS UM LIVRO SOBRE URSOS! de Laura e Philp Bunting, traduzido por Gilda de Aquino, publicado pela @brinquebook!⠀

Já pensou na quantidade de livros que têm o urso como protagonista? 

 
No livro uma nova história sobre ursos começa, mas é interrompida por um urso que não aguenta mais livros de ursos!


Ele quebra a quarta parede e fala diretamente com o leitor. E aproveita pra reclamar muiiiito.


 Ele começa uma greve com outros ursos! hehehe. Eles cansaram de trabalhar nos livros!⠀


Mas como o leitor dialoga com eles, os ursos resolvem fazer um trato.... Será que o leitor vai aceitar?



 ⠀ ⠀ ⠀  Será que a gente não vai poder NUNCA MAIS ter livros com esta personagem?⠀


As ilustrações são muito bonitinhas e engraçadas, umas parecem tiradas de enciclopédias de livros informativos para kids. 

E vale ficar de olho nos salmão! hehehe


Pra comprar: https://amzn.to/3heyX34

Vocês estão sabendo do nosso projeto #kbwtki, né?

Se não sabe ainda, podes ver AQUI.

#kbwtki: Paquistão!⠀
 Shahrukh Husain é a autora que escolhi hoje!⠀

 Ela nasceu em 28 de abril (ontem!) Em 1950. Shahrukh é uma autora paquistanesa especializada em ficção, não ficção e é roteirista, além de psicoterapeuta, folclorista e contadora de histórias. 


Seu livro FÁBULAS DO MUNDO ISLÂMICO foi traduzido em 2017 e publicado pela @editorawmfmartinsfontes.⠀ ⠀ 

São 22 fábulas curtas sobre os mais variados temas como por exemplo: mentiras, meninices, universo, espertezas, alimentos, dádivas divinas, entre outros.⠀ ⠀ 

No final tem um glossário de pronuncias.⠀ ⠀ 

As ilustrações de Micha Archer são super coloridas e frutas de uma pesquisa sobre arquitetura, tapeçarias, ladrilhos, livros de viagem, animais, desenhos de mesquitas, entre outros elementos da cultura islâmica. ⠀ ⠀

 Muito bom!⠀ 



 In English: #kbwtki: Pakistan!⠀ 

Shahrukh Husain is the author I chose today!⠀ 


She was born April, 28 (yesterday!), in 1950. Shahrukh is a Pakistani author who specializes in fiction, non-fiction, and screenwriting. She is also a psychotherapist, folklorist, and storyteller. Her book THE WISE FOOL- FABLES FROM THE ISLAMIC WORLD was translated to Portuguese in 2017, and published by @editorawmfmartinsfontes. ⠀ ⠀ 


There are 22 short fables on the most varied themes, such as: lies, childhood, universe, smarts, food, divine gifts, among others.⠀ ⠀


At the end there is a glossary of pronunciations.⠀ ⠀


 Micha Archer's illustrations are super colorful and the fruit of research on architecture, tapestries, tiles, travel books, animals, mosque designs, among other elements of Islamic culture.⠀ ⠀ 


Very good.

Pra comprar em promoção: https://amzn.to/3enfV96
Deixa eu contar pra vocês de uma nova paixão minha: a COLEÇÃO ARTE À PRIMEIRA VISTA! 


Os livros, não temos todos ainda, foram elaborados pela Renata Sant' Anna e Valquíria Prates, publicados pela Paulinas. Cada livro fala de um artista importante pro Brasil, para arte brasileira, moderna e contemporânea. 

A linguagem é simples e mostra uma determinada parte da produção, um recorte de uma fase ou processo de cada artista. 


* O OLHO E O LUGAR, da Regina Silveira apresenta as sombras, suas projeções nos diversos ambientes e a escala/relação do homem com sua obra. 



A jaqueta sai e vira um elemento de projeção de sombras no ambiente, basta ter uma lanterna ou a luz do sol, mesmo. Na orelha temos um homem, que devemos cortar e montar para interagir com as obras presentes no livro.
O livro em si, dobra pra lá e pra cá e vira um cenário, uma sala de uma galeria onde temos a obra como ela é de verdade.  



 ATRAVESSURA, de Mira Schendel mostra a relação das letras, poesias visuais e os diferentes tipos papéis, usados para explorar essa relação. 



Mira uma é uma artista plástica que nasceu na Suíça, viveu na Itália e se mudou para o Brasil durante a  Segunda Guerra Mundial e fez parte do movimento do Neoconcretismo. Aqui ela convida os leitores a desvendar os mistérios e possibilidade dos signos, linhas, pinturas e formas. 




 A OBRA QUE NÃO QUEREMOS VER, de Frans Krajberg mostra e denuncia as queimadas e a vida que renasce das suas esculturas. 

Não tem como não se emocionar diante da luta e da obra.

Frans Krajcberg foi um pintor, escultor, gravador, fotógrafo e artista plástico nascido na Polônia e naturalizado brasileiro que lutou muito contra o desmatamento das florestas daqui. 



 E a Lygia Clark fala da sua fase até os Bichos, e este livro vai ganhar vídeo! Aguardem! Não vou falar dele hoje! 

 E o mais legal é que cada livro vem com um caderno de atelier para potencializar a vivência e as ideias que estes artistas exploraram nas suas obras. Ou seja: Mãe, Pai, pode comprar pra brincar de artista, em casa, com seu filho! E claro, professores de arte é um investimento maravilhoso e acessível para as aulas de arte. Meu favorito, tirando o da Lygia que tem um molde pra fazer um bicho de papel é o da Regina Silveira, onde tiramos a jaqueta e brincamos de fazer sombras dos bichos gigantes! 😍😍😍 

 Quero aglomerar pra mostrar pros meus alunos o quão incríveis estes livros são! E vc, já conhecia estes artistas e estes livros?