Dicas para ententer crianças presas em casa


 Meu Amigãozão - O Filme

É com muita alegria que apresentamos ao público do Kids Indoors o filme de um dos desenhos mais amados pelas crianças na tv paga, Meu Amigãozão. A estreia nos cinemas será no dia 12 de maio de 2022.

Direcionado ao público pré-escolar, o filme retrata com sensibilidade ímpar as angústias, medos e principalmente a fantasia que os pequenos usam para resolver seus problemas.


Os amigos Yuri, Lili e Matt não estão prontos para a colônia de férias em que foram inscritos pelos pais. Nenhum deles se sente apto a fazer novos amigos. No momento em que vão entrar no ônibus que leva à colônia, acabam rolando para dentro de uma floresta fantástica com castelo encantado, atelier mágico, ilha no meio das montanhas e muito mais.
Só que eles não vão pra lá sozinhos, cada um está acompanhado do seu Amigãozão; Golias, Nessa e Bongo. São eles que dão segurança para as crianças e as apoiam nas dificuldades.
Nesse mundo divertido conhecem Duvi Dudum que a princípio quer que se divirtam mas ao longo da história descobrimos que sua real intenção é roubar os Amigõezões.

As crianças vão precisar superar seus medos e fazer novos amigos para salvar seus Amigõezões do Duvi Dudum (um vilão que nem é tão vilão assim, quase um Mágico de Oz).



O filme é um festival de cores, uma delícia para quem, como nós e os pequenos, adora desenhar, pintar e criar. A gente termina de assistir querendo correr para as tintas e lápis de cor.

O Lucas ficou encantado, ele que já tem 7 anos mas ainda gosta desenhar seus próprios amigos imaginários, já pediu para ir ao cinema e assistir novamente. E depois de tanto tempo longe de outras crianças por causa do distanciamento social, ferramentas nos que ajudem a lidar com a questão são super bem-vindas.

Meu Amigãozão foi criado pela 2DLAB do Andrés Lieban, que foi nosso colega (Gi e Cathe) na faculdade de Artes Visuais na década de 90 e é amigãozão do Kids Indoors (ele e sua esposa, a autora Marilia Pirillo).

Vamos ler o que o Andrés fala a respeito do filme?

“‘Meu AmigãoZão’ é uma animação leve e divertida, mas não ignora que crianças na idade pré-escolar também passam por situações tensas que nem sempre estão preparadas para resolver, especialmente no que diz respeito a interagir com amigos ou colegas. As nossas histórias abordam essas dificuldades de forma orgânica, através da dramaturgia e da fantasia, procurando dar ferramentas para que a criança se reconheça em algumas situações e, através da empatia, entre em contato e reconheça seus próprios sentimentos, ajudando a desenvolver suas habilidades sociais”, explica Lieban sobre como o longa-metragem pode ajudar o público infantil a desenvolver os seus sentimentos. (...) No fundo, os Amigãozões são manifestações não conscientes das próprias crianças, vozes que elas precisam ouvir, respeitar e acolher para se conhecerem melhor e crescer”.


A distribuição da O2 Play em parceria com a RioFilme


Assista ao trailer no youtube

https://youtu.be/NgjOU5rsVoY 

 Bem-vindas!!! 

Este é um post super especial com os melhores do ano, na visão da Gisele. Lembrando que somos 4 por aqui. Depois vocês vão conhecer os top das outras.

Nosso TOP é diferente dos demais blogs e sites, sempre foi. Desde 2008, quando começamos, escolhemos os melhores livros que lemos no ano, não os melhores livros publicados no ano, até pq não temos acesso a todos. Então, de tuuuudo que lemos este ano, aqui está a nossa primeira lista (e aparecem não do melhor pro menos melhor, ou vice-versa, mas por ordem de lembrança):



O primeiro TOP livro de 2021 recebemos no Kit do clube de assinatura de livros ilustrados para adultos: @clubeetc.etal


 E como falar do livro sem dar spoiler? Li, reli, tropeço numa palavra: Farol. Já imaginei uma beirada de mar e o farol iluminando... Mas ao virar a página, vi que não batia com o que eu tinha pensado e tive que avançar na leitura e depois voltar algumas páginas, pra reorganizar a narrativa. Já que Farol, quer dizer sinaleira, pra nós aqui do Sul. Hehehe E esse vai e vem de criar a narrativa na nossa mente, testar hipóteses, não entender a sequência, voltar e repensar a história de novo é uma das características do livro-imagem e tb do livro ilustrado, claro. É o leitor se colocando como coautor da narrativa, bem como Gustavo Piqueira propõe. E amei! Já escrevi pras amigas dizendo que ela precisam deste livro e falando do Clube Etc.etal. Vamos usar nas nossa oficinas de escrita criativa e de ilustração! De noite, a Ceci leu e me pus a observá-la lendo: risadas, espanto, sobrancelhas arqueadas, boca aberta, emitindo Ós, risinhos e outros sonzinhos de felicidade e admiração. No final ela me falou: mãe, passei a maioria da história com a boca no formato do O, como o título do livro! 


 A narrativa ainda demonstra o conceito de Deleuze, onde a repetição leva à diferença. E me lembrou dois livros: um o Gustavo até mencionou no final do seu O, Chapeuzinho Branco. O outro é o livro Black & White. Mas não vou dizer os motivos que me levaram para estes outros livros, pra não dar spoiler. Hehehe. Não tem a ver com o O, mas tem. 🤭 Podemos conversar depois que todo mundo ler a obra! Ah! O livro foi publicado pela @lote42. 


Pra assinar o Clube etc e tal: https://www.instagram.com/clubeetc.etal/
Pra comprar o livro: https://amzn.to/33ghyiD



Tava tri feliz contando nos Stories, lá em janeiro, que tinha acabado de receber um pacote do @clubequindim! E que já ia mostrar o livro... E "POW!" Um soco no estômago. Que livro!! O MENINO QUE VIROU CHUVA de Yuri de Francco e Renato Moriconi, da editora Caixote. 


 Nossa... Não consegui mostrar por lá. Como captar um sentimento dentro de um livro? 


A pergunta que os próprios autores se perguntam no início da narrativa, que aliás começa fortemente já nas guardas inicias. O branco que o livro apresenta me parece a passagem do tempo, um tempo necessário para que o leitor assimile o que se passa com o guri. As margens assimétricas (que vão diminuindo com o passar das páginas) também auxiliam na contagem e passagem do tempo. O tempo é tão forte nessa narrativa! Quanto tempo pode durar o choro de um menino? Queria falar tantas coisas! 


Mas não quero dar spoiler pra não estragar e tirar o prazer da experiência e da descoberta do leitor com o livro. A cor como sentimento é o que mais mexeu comigo. Ano passado parece que não acabou ainda, né? Pois eu tive uma leve depressão. Leve pra quem olhava de fora, claro. Comecei a me tratar online e um dos primeiros sonhos que tive foi: Via uma família (com 10 filhos) super colorida rindo, felizes pousando para uma foto. Mas tinha uma coisa cinza que atrapalhava essa visão. Quando virei para esquerda vi que era eu: pessoa + árvore. 2/3 árvore toda cinza quase morta e 1/3 (na parte do tronco) uma velha cinza e preta, plantada em frente a um muro laranja amarelado. Com a terapia estou tentando trazer minhas cores (metaforicamente) de volta. Quando vi esse menino cinza, chovendo e como a história toda se resolve... Nossa! Quanta esperança! Vi que já passei da fase central da narrativa e estou no 1/3 final, assim mais perto de voltar a sentir cor. Que baita livro! Que baita livro! Parabéns! 


Todo mundo merece ler!
Pra assinar o clube Quindim: https://quindim.com.br/


Desde 2008, quando comecei a fazer os TOP 10 do ano, o critério não era lançamento do ano, mas os livros mais lidos ou descobertos naquele ano. 
Afinal, nem sempre temos acesso aos livros no ano de lançamento.


Na COMPANHIA DE BELA: Contos de fadas por autoras do século XVII e XVIII, de Susana Ventura e Cássia Leslie , com ilustrações e projeto gráfico da Roberta Asse, publicado pela editora Florear Livros.


 O livro já foi premiado aqui no Brasil e já estava na nossa wishlist desde 2019, quando a Cathe o viu na feira do livro de Porto Alegre!



 Naquela época chegamos a mostrar no nosso Stories, se não me engano. 

Este ano conheci a autora Cássia e sua paixão pelos contos de fadas! Fiquei super encantada! E mais ainda com o livro! 


A publicação traz algumas das "preciosas", assim eram chamadas as primeiras mulheres que de fato publicaram contos de fadas. E como num conto de fadas, sob alguma maldição ficaram esquecidas por séculos, até as duas pesquisadoras encantadas, Cássia e Susana, resolveram trazer à vida, estes contos, estas mulheres e suas histórias! Entre 1690 e 1715, na França, foram publicados 114 contos de fadas em livros, destes, 74 foram escritos por mulheres! Mas até agora, onde estavam? No livro temos contos de 6 delas: Marie-Catherine Le Jumel de Barneville, que foi inclusive quem batizou o termo "contos de fadas", Jeanne-Marie Leprince de Beaumont, Charlotte-Rose de Caumont de La Force, Marie-Madaleine de Lubert, Marie-Jeanne Lhéritier de Villandon e uma anônima, que foram as pioneiras do gênero! 


 Cada conto traz uma pequena biografia, como um infográfico, da sua autora e um pequeno texto sobre o conto em si. As ilustrações e design brincam e interagem com o texto. Além nos levarem de volta aos antigos livros de contos de fadas, com suas cores, guardas, vinhetas e letras enfeitadas. E pra nossa felicidade este é o volume 1 de vários! Para comprar e ter um exemplar lindo, só seu, basta falar inbox com a Cássia do IG @editoraflorearlivros. Ela pode mandar o livro autografado! 


 Uma preciosidade! Me sinto o cavaleiro Afortunado de um dos contos: Amei descobrir 5 autoras que não conhecia! E é um baita exemplo pras gurias. Perrault, Andersen, os Grimms são importantíssimos, mas também há mulheres apagadas, que merecem ser conhecidas e adoradas! 

Para conhecer outros livros da editora e comprar este: https://loja.editoraflorearlivros.com.br/




ESCOICEADOS...
Este livro é uma porrada, ou coice, que fica reverberando dentro da gente.

Curto e grosso o poema me deixou pensando na quantidade de gente que não tem acesso a beleza, a liberdade, a educação, a uma vida melhor... Pessoas limitadas pelas questões socioeconômicas... E o quanto estamos presos e reproduzimos os modelos dos nossos pais, avós, bisavós, etc... É difícil sair de um modelo pré existente! Ainda mais num país tão desigual quanto o Brasil.
Um filho compara a sua vida e a vida do seu pai, com um animal que seu pai comprou a troco de banana. Um animal rude, sem beleza: um burro empacado, que não consegue sair do lugar. Os versos são curtos; o poema, trancado e sonoro. No melhor estilo: a vida como ela é. Mas pq ela precisa ser assim?


O poema é de Donizete Galvão, com ilustrações de Carlos Clémen, publicado pela Musa Editora.
O livro ainda tem o posfácio de Priscila Figueiredo, poeta e crítica. Recomendo muito.
 Para comprar no próprio site da editora:
Na Amazon: https://amzn.to/3dZpA4w



BRINCADEIRA DE CASINHA, Índigo. Publicado pela Ciranda Cultural.

 É muito incrível como o universo conspira... 

Estava eu conversando com minha psico sobre a mulher que quero ser pra mim e que exemplo de mulher quero ser pra minha filha... Já que, com a pandemia, eu sou praticamente a única mulher que ela viu/conviveu em 1 ano e meio, com raras exceções, isso até ela voltar pras aulas presenciais, claro. 


Daí chega um livro, que pula na frente dos demais da pilha... Que justamente fala sobre uma guria, virando teen, e tentando se compreender e querendo descobrir que mulher ela quer ser. E quase tudo acontece dentro da cabeça dela, com os hormônios a mil, e sem tecnologia, lá no ano de 1984. Cássia não tem onde ficar depois da aula, agora que a mãe voltou a trabalhar. Então, ela vai ficar na casa de um colega de turma, que é cuidado pela vó. Ela nunca falou com ele e ele não fala (de jeito nenhum) com ela. 

Assim, começa, dentro da cabeça dela, um relacionamento sério, para fazer do guri, um rapaz maduro. Tudo na cabeça dela, repito. Muito real e possível que tenha acontecido com qualquer uma de nós, quando criança e muito possível que nossos filhos passem por isso. 

 O primeiro amor não correspondido; se compreender com parte de uma família; como parte da escola; se descobrir mulher e ter (ou não) o apoio de outras mulheres; considerar um pet, um filho; descobrir novas paixões; ter empatia e buscar incluir e ajudar o outro a resolver seus problemas; querer distância dos pais (ao mesmo tempo que sofre com isso) e muito mais. 

 Um livro muito humano, como todos os livros da @indigo_hoje. Eu amo mesmo os textos dela. Um dos meus livros favoritos é o Cobras em Compotas, onde cada conto me lembrou parte da minha infância também.

A Índigo tem disso, ela conecta o meu eu de agora, com o meu eu de antigamente, fazendo a narrativa parecer que aconteceu na minha própria vida e ela apenas pegou minhas lembranças e colocou-as magicamente num livro, só pra eu não esquecer. 
É um livro infanto-juvenil, em capítulos.

 Recomendo.




SAGATRISSUINORANA, de João Luiz Guimarães e Nelson Cruz. Editora OZÉ. 

Ganhou o Jabuti!!!! Por si só já merecia estar na lista! Mas é muito mais. Gente, que livro!

Vamos por partes...

SAGA- TRIS- SUINO- RANA

Saga: Narrativa ou história de ficção com mais de uma parte ou repleta de incidentes;
Tris:  Relativo ao número três (pelo som: "triz" -  por um fio, por um quase-nada);
Suina: Relativo ao porco;
Rana: [Gíria] Ladrão do mar.


Pra mim o livro tem várias partes. A parte do texto. que fala de uma história sobre 3 porquinhos abrasileirada. A forma do texto: lindamente escrito, de uma forma floreada e indireta, traz lembranças do  Guimarães rosa, com sua escrita ritmada, com metáforas, neologismos e aliterações, fazendo a linguagem torcer-se para ficar entre a poesia e a prosa.  L I N D O.

E tem a parte das ilustrações que trazem duas histórias diferentes paralelas que se encontram no final! Gigante! Triste. Real. Nas ilustrações, a fantasia, a ficção da história infantil dos 3 porquinhos encontra  a vida de verdade, a maldade e descaso dos homens, a tragédia! 

Bravo!!!
Que livro! 
Que experiência de leitura!
Uau! 

Para comprar na editora:
Para comprar na Movimento Literário, onde eu comprei (use o cupom de desconto KIDSINDOORS): 
Para comprar na Amazon: https://amzn.to/32cQiEp



A de ATIVISMO, Innosanto Nagara, da Bamboozinho editora. 

Foi traduzido pela Aloma. 

Um livro grande sobre cidadania para kids pequenas... Na verdade, para toda família, pois o livro traz, de uma forma forte, bonita e, ao mesmo tempo, simplificada, uma educação em direitos humanos.

Um livro com um abecedário diferente de todos os outros que vi. Ele acredita no leitor dele e não usa diminuitivos e nem usa a linguagem de forma simplista. tem várias palavras abstratas e complexas como OMISSÃO, DEMOCRACIA, SANEAMENTO, IMPUNIDADE, REPUDIAR, SUSTENTABILIDADE, GARANTIAS, ATIVISMO, EQUIDADE e tantas outras...



Um livro sobre valores, compromisso, solidariedade. Um livro-compromisso: para conversar sobre democracia e construir o cidadão ativo de hoje e do futuro. 




AS LINHAS NO ROSTO DE NANA, De Simona Ciraolo, traduzido pela Alice Ruiz, com quarta capa de Ana Maria Machado e publicado pela @ftdeducacao.

Completamente apaixonada por este livro!

É a história de uma neta que, durante o aniversário da vó, começa a observá-la. A neta se dá conta de que nunca sabe o que a avó está pensando, sentindo em função de todas as linhas do seu rosto. Então ela questiona a vó: o que são essas linhas? A Nana responde que são memórias. A guria desconfiada pergunta mas "Que memória é esta aqui?", aponta para uma uma linha e avó fala só uma de um certo acontecimento. Ao virarmos a página, vemos como o evento foi de fato.

As cenas são longe de perfeitas e idealizadas, como o leitor pode ter achado, na frase da avó. Mas vemos que há sempre a irmã junto, cúmplices. É muito lindo. Tanto as lembranças, quanto o encontro da neta com avó e também a delicadeza que trata a memória e velhice.


Muito afeto, muito carinho.

As Ilustrações são liiindas e delicadas. Amamos!

 #EuAmoLerFTD Super recomendo.

Ah! E tem cupom de desconto KIDSINDOORS20, no site da #FTD.
Na Amazon: https://amzn.to/3ytJazu
 



EU FALO COMO UM RIO, de Jordan Scott e Sydney Smith, da @pequenazahar. Um dos melhores livro publicados esse ano (na nossa opinião). Vai estar entre os 10 mais... Um menino que tem um mundão dentro de si, mas as palavras ficam presas no fundo de sua garganta. R quando saem, não é do jeito que ele quer. Uma história bonita sobre ser acolhido pela família em tempos difíceis. Uma história sobre aprender a ser você mesmo, se aceitar e encontrar beleza em você.


 Lindo e sensível. Minha única ressalva é que precisaria ter uma página em branco (ou de outra cor) separando o fim da narrativa, com a explicação do autor. Não dá tempo do leitor, saborear a história que ele entendeu, sem ser "contaminado" pela explicação. A explicação enriquece, sim. Mas o leitor precisa de um tempo sozinho, antes. Super recomendo a leitura.




OS INVÍSIVEIS, Tino Freitas e Odilon Moraes, da Companhia da Letrinhas.

Os invisíveis, versão antiga co o Renato Moriconi, já tinha passado por aqui. Anos depois, Tino e Odilon resolvem fazer uma nova história, sim, nova. Pois quando modifica-se o ilustrador, a narrativa ganha outro sentido, outra vida.

O texto permanece quase igual, acho que só muda a frase sobre encontrar um amor. Texto maravilhoso, ainda mais atual na pandemia. Quem são os invisíveis da sua cidade? Da sua vida?  Você vê todo mundo de verdade?

As ilustrações são todas com uma caneta preta, não há mais cores, como na outra versão, além da caneta preta e a cor do próprio papel.  

O leitor, não é como o menino da história que vê todos. O leitor sente o incômodo de ser omisso, de passar os olhos e não enxergar de verdade. O leitor adulto, digo. Será que as crianças vão perceber? Vão sentir? Vão questionar a falta de identidade, de rosto, de pele, de mãos? 

Um livro sensível e delicado, forte e muito potente. E, claro, super necessário. 





JULIAN É UMA SEREIA, Jessica Love, Boitatá. Este livro também apareceu anos atrás aqui, mas em inglês. Eu o comprei assim que foi publicado no Brasil, não aguentei. 

O livro é lindo, mas pode ser polêmico para algumas famílias.


É a história de Julian, que após uma aula de natação e ver algumas mulheres vestidas de sereia, começa a se imaginar sendo uma, se transformando em uma. 
Quando chega em casa, com a avó, ele resolve se vestir de seria e se transforma. Quando sua vó chega na sala, vemos Julian, como na capa. O que será que a senhora vai fazer?

Um livro lindo sobre aceitação (olha o spoiler, aí). Pode ser mesmo que o guri queria ser uma sereia, pode ser também que ele só queria brincar de se fantasiar, pode ser que está na época do halloween ou carnaval e ele só queria brincar de se divertir...

É um livro lindo! As ilustrações, as cores, o turquesa em cima do papel craft escuro são maravilhosas. Eu amei, a Carla amou, a Cathe amou e a Luiza amou. Todo mundo babando pelo livro. Graças a Deus ganhei um sorteio e recebi um da Nina, do Mar de Histórias! Agora tenho um em português também pra chamar de meu. 

Para comprar na Amazon: https://amzn.to/3IVtiue



O MENINO E O MAR, Lulu Lima e Lalan Bessoni, da Mil Caramiolas editora. 

Como você vê o mundo? Existem formas diferentes de ver? Nesta história vemos um menino com medo do mar, encontra uma menina que ama essa imensidão toda. Os dois sentados diante do azul infinito começam a encarar o mar, o vento, a areia de uma forma muito linda e inteira, com os cinco sentidos, como presente e presença.

 O azul, elemento forte da narrativa nos embala entre realidade, curiosidade, hipóteses, descobertas e fantasia. Liiindo, lindo. Daqueles que quando a gente termina, faz um carinho na capa e volta pra dentro, pra ler de novo. 
 Lindo.
Pra comprar na Amazon: https://amzn.to/30vS4jh



Sei que estamos na Pandemia AINDA, mas o câncer não espera. Aproveite que as pessoas vão tirar férias e vá fazer teus exames. Eu fiz meus exames em Janeiro de 2017, mas coloquei todos os envelopes numa gaveta e só em Maio lembrei deles. O que aconteceu? Por eu ter demorado, perdi uma mama. Claro que foi melhor que perder tooooda minha vida, mas perdi a mama. 


Se tivesse visto antes, isso não teria acontecido. 
 Falo por ter em mãos uma graphic novel que trouxe aquela sensação de ser arrastada pra dentro de um liquidificador de novo. MAMÃE ESTÁ COM CÂNCER, Brian Fies, da editora Dark Side. 

Os filhos descobrem que a mãe está com câncer de pulmão. A chance de sobreviver é de 5%. 

E o filho, que é autor, começa a estudar o assunto e documentar as fases da família. Além da capa ser liiiinda! Olha este rosa!!! Vontade de lamber a capa #soudessas. O livro mostra os 3 filhos (muito diferentes entre si), mãe doente e o corpo clínico que a trata dela. Mostra muito o lado do paciente, como a cabeça da gente parece que para e sai do ar, e de repente a gente fica em modo: Luta. Postei aqui as imagens que mais lembram o que passei e ainda passo sinto os efeitos colaterais nas mãos, como a mãe da história. 

 
Uma história sensível, sobre como a doença afeta, não só o doente, mas todo um círculo de pessoas. Ninguém está preparado pra presença do câncer. Muda muito. Muda tudo. Fica a dica. Ganhei este livro comovente da @darksidebooks e do artista Brain Fies. Ganhou o prêmio Eisner (tipo Oscar dos quadrinhos). Recomendo pra quem conhece alguém que está passando por esse problema. Ajuda a entender o lado do paciente e família.



E por último, vamos encerrar com um SUUUUPER teórico!


Se você chegou aqui no Kids Indoors, no post dos TOP livros de 2021, deve amar livros tanto quanto eu! Por isso, corra para comprar essa bíblia FUNDAMENTOS GRÁFICOS PARA UM DESIGN CONSCIENTE, da Raquel MatsuShita, da Musa editora!

Confesso que eu, de início, tive pena de riscar, mas depois eu precisava sublinhar, marcar para poder voltar e reler e usar em alguns artigos meus. O livro é recheado de informações relevantes, você vai querer sublinhar tudo, pode ter certeza!

O livro aborda como se faz um livro de uma forma consciente, pensando nele como um todo. O que é um livro de qualidade? Como é feito? Tudo no livro importa, nada está lá por um acaso. O livro da Raquel ajuda o leitor e quem trabalha com literatura entender o motivo de cada cor, de cada fonte, de cada dobra estar ali e potencializar o texto e a leitura. Tem histórias, curiosidades, tem teoria de uma forma clara e dinâmica, tem exemplos bem explicados e de fácil visualização, não tem enrolação. Tudo ali é muito útil pra quem pensa, faz e cria livros.  Completo. Necessário para qualquer amante de livros.

Super presentão de Natal!


Pra comprar na Amazon: https://amzn.to/3md7n8d


STONER, de John Williams, da Rádio Londres.
Este livro foi um achado. Daqueles que ficam reverberando dentro da gente. 
O que é ser professor? Como uma pessoa se descobre professor? É vocação, destino? O que é a Academia? Pra quem se destina? Qual a sua função? O que é ser um excelente professor? Como transmitir sua paixão pela literatura para os outros?

Neste ano de 2021 eu entrei em 3 grupos diferentes de estudos, sobre 3 ramos diferentes dos muitos caminhos que a literatura tem. Um dos grupos foi da Talula Trindade, da @letra_emendada. Lá conversamos sobre infâncias e docência. Foi a Talula que nos apresentou este livro incrível. 
A escrita é linear, super reflexiva e intimista. Meu livro está todo sublinhado. E já li de novo. Muito bom.



NOSSA LISTA CHEGOU AO FIM!

Foi um ano muito difícil de escolher os top! Coloquei e tirei da lista um montão de outros livros. Fico triste com o tantão de livros que não entraram, mas ó, tem uma lista gigante aqui no blog e outra lá no nosso Instagram: @kidsindoors

E você? Quais são seus livros TOP 2021?

 Já ouviu falar num spinner literário?

Quer apoiar uma artista independente neste Natal?


Agora é oficial!

Meu livro infinito está prontinho! No Mato, por Gisele Federizzi Barcellos.

Perfeito pras kids pequenas!

Tem rima, tem animais, tem cores e formas, tem interatividade e é divertido!
Não é só para bebês. Kids até 6 anos vão amar. 

Saiu da gráfica agora e tenho alguns exemplares pra vender. Como é um livro independente (todo feito por mim), as vendas são por email, e os exemplares numerados. 

Para comprar:

Basta passar um pix, ou transferir o valor pra minha conta e depois mandar o comprovante para o email: livroskidsindoors@gmail.com, no assunto: LIVRO NO MATO, com teu endereço. As postagens nos correios são sempre nas sextas-feiras e mando o código de rastreamento, assim que voltar de lá. 

O valor do livro com frete incluso, pra qualquer lugar do Brasil, é 50 reais, 

que pode ser pago por pix:

Ou transferência bancária. 

O livro tá lindão, modéstia a parte.
Aguardo os emails de vocês com muito carinho!

Desde já agradeço o apoio e perceria!

 

Olá, mais uma participação especial do Rodrigo, irmão da Gi e da Carla. 

Dessa vez vou poder falar sobre um livro de um dos meus autores favoritos, Neil Gaiman! Esse cara já escreveu de tudo, de pequenos contos a uma saga em história em quadrinhos, passando por livros infantis. Coraline, Stardust e MirrorMask são três dos filmes baseados em suas histórias, cada uma delas com um universo único e fantástico, que prende os seus leitores com personagens cativantes e aventuras mágicas.



Acaba de ser lançado o primeiro volume da Biblioteca Gaiman, que vai reunir vários de seus contos adaptados para o mundo dos quadrinhos. Nesse livro, temos cinco histórias, todas elas mostrando como é tênue a linha entre a vida real e o misterioso, onde monstros, demônios, anjos e outras criaturas mágicas circulam ao nosso redor. Por mais incrível que seja o desenvolvimento da história, Gaiman tem uma maneira de nos manter ligados à realidade e ficamos com a sensação que poderia estar acontecendo com alguém próximo de nós, não em um mundo imaginário.



Em “As Noivas Proibidas dos Demônios Desfigurados da Mansão Secreta na Noite do Desejo Sinistro” (que título longo!), temos o desespero de um escritor enfrentando seus demônios (pessoais ou reais?). Em “Criaturas da Noite”, temos duas histórias: a minha favorita, “Sacrifício”, que acompanha o dono de uma casa que acolhe gatos de rua e um deles em especial, o Gato Preto; e depois temos a lenda da “Filha das Corujas¨.


Em “Mistérios Divinos”, um estranho retribui o cigarro dado com a história do assassinato de um anjo e todas as suas repercussões. Em “A Verdade sobre o Desaparecimento da Srta. Finch”, um grupo de amigos tem uma noite estranha ao participar de uma apresentação circense no submundo de Londres. Em “Arlequim Apaixonado”, seguimos o ser invisível que persegue a sua amada, entregando a ela o seu coração.


É difícil falar de cada conto sem revelar o que a torna fantástica, mas cada uma tem a sua reviravolta ou mágica própria. Com um repertório variado, esse livro não é para crianças, mas certamente contém pelo menos uma história que vai te agradar.


Não existem histórias boas sem o inesperado.”




Semana passada eu assisti uma live do @carlemuseum, com 5 autores de livros-imagem. 

Hoje vou mostrar um dos livros que a autora Molly Bang mostrou e falou neste encontro. "A senhora cinza e o arrebatador de morangos" foi o primeiro livro-imagem dela. 

Ele foi rejeitado pela editora que a representava. Ouviu que achavam que ela queria na verdade só exibir seus talentos de pintora e que ninguém ia gostar, ninguém ia querer um livro assim. Ela mostrou para um amigo, que mostrou para um editor que topou o desafio, mas pediu para ela diminuir um pouco a história, que tinhas muiiitas páginas. 
Como naquela época não existia Photoshop, ela redesenhou várias partes, mexeu, uniu, redistribuiu tudo para que o livro tivesse menos páginas. 

Por fim, publicou e ganhou um Caldecott (imagina como ficou a 1a editora? 🤭). 


 Ele é muito legal porque trabalha com o negativo de uma forma positiva: negativo (o fundo), vira figura (vira positivo).



Os vazados com a cor do fundo se transformam em elementos da figura humana, mais precisamente na figura da Senhora Cinza. 
Há um elemento misterioso que a segue. Só vemos que suas mãos são manchadas de vermelho.... 

Pelo título, podemos concluir que se trata do ladrão de morangos. 

Há um jogo de esconde-esconde, de cor lisa chapada x super detalhamento de elementos, de repetição de alguns elementos x vazios, e essa esse jogo brinca com leitor e torna a narrativa mais dinâmica.

 Um baita livro que tem todo um tempo e clima de perseguição e o leitor precisa ler de novo e de novo pra ver tuuuudo que tem nas imagens.

 Fica a dica pro #wordlesswednesday



(Foto de Julio da Rosa Fotografias)

 Nosso livro chegou!

Um Papai Noel e uma dúzia de cores, texto da @franzenklein e Ilustrações minhas, @gisele.autora, publicado pela @cirandanaescola !


Olha que liiindo!

Ele vem com um jogo da memória pra recortar e brincar.

No vídeo vocês podem ver a filha da Alessandra se divertindo com a leitura.

Já está disponível na Amazon, no site da Ciranda Cultural e nas principais livrarias do país.

Link: https://amzn.to/3xECOwM


Olha a sinopse:

Eu sempre vejo o Papai Noel vestido de vermelho... Será que ele se veste assim o ano inteiro? Eu gosto de tudo muito colorido. Será que ele topa usar um look mais divertido? Venha comigo decidir o que o bom velhinho pode vestir! Escrito por Alessandra Klein e ilustrado por Gisele Barcellos, o livro vem com um lindo jogo da memória para você recortar e se divertir!



E a Alessandra já lançou o livro na Feira do Livro de Horizontina! 



Foi show!!!

Delícia pra ler no Natal, e durante o ano todo tb!