Dicas para ententer crianças presas em casa

 OS CAÇADORES DE FANTASMAS E A ASSOMBRAÇÃO DE FOGO de CORNELIA FUNKE. Editora: Brinque-Book, ISBN: 9788574124292.

Eu sou muito fã da Cornleia, AMEI Coração de Tinta, e fiquei super curiosa pra ler esse lado mais "infantil" dela! Não sabia que ela escrevia para crianças, e muito menos, que ilustrava também.

Esse é o segundo dela, de uma série, pela Brinque-Book (veja AQUI). É a história de 3 caçadores de fantasmas: uma senhora, um menino e um fantasmas do tipo FMP (Fantasma Medianamente Pavoroso), que saem em missões pelo mundo para capturar fantasmas desordeiros e perigosos. No final do livro há um glossário com termos que eles usam, como por exemplo: tipos de armas e tipos de fantasmas, entre outras coisas.

Nesta aventura, um gerente de hotel liga, pedindo ajuda. A senhora Cidreira pede que ele diga tudo que aconteceu e tudo que ele sabe. Baseado nessas informações ela arruma as armas e armadilhas necessárias para pegar o fantasma que está assustando os hóspedes do quarto andar, do hotel PÉROLA DA PRAIA.

Mas ao chegar lá no hotel, o time de caçadores descobre que o Dr. Prestígio omitiu uns pequenos detalhes...e eles estão diante de um TIER - Terrível e Incrível  Espírito Rêlampago, um fantasma de periculosidade máxima que não deixa ninguém vivo pelo caminho! E agora? O que eles irão fazer?

Só vou dizer que eles começaram tapando todas as tomadas com calda de açúcar!!!
 E aqui em casa as crianças começaram a se proteger de ataques de possíveis fantasmas! 
Juntaram partes de brinquedos com sucata e criaram vários mecanismos de proteção. Os fantasmas caidos no chão são esmagados com esse aparelho.
Pega os fantasmas voando.

 Além de poções venenosas (com água, café, açúcar, farinha, fermento, sal de fruta e perfume) que espalharam pela casa, em pontos estratégicos.
Super caçadora de fantasma Ceci (que inclusive foi colocar um macacão de caçar fantasmas) com seu sugador ultra potente!
E ainda fez um alarme sugador para ser colocado na entrada do quarto, à noite. :)

E você? Não está a fim de aprender a caçar fantasmas? Leia Cornélia Funke! :)
COM O REI NA BARRIGA de ALMIR CORREIA e ilustrações de BÁRBARA STEINBERG. Da série Poemas Birutinhas. Editora: Biruta, ISBN: 9788588159426
 Este livro possui 11 poemas simples, divertidos e com trocadilhos de sentido das palavras, como o da foto acima. Alguns mais compridos e outros ainda mais curtinhos. Para crianças começando a alfabetização são ótimos!
Após leitura de todos eles, em voz alta, escolhemos um para trabalhar.
 E escolhemos o maior deles. Amamos a parte: 
Escreva o poema 
Num aviãozinho de papel 
E faça o poema voar 
Até lá em cima no céu..." Ela nos deu uma ideia!
 Resolvemos fazer aviões de papel com poemas dentro. 
E descobri que meu filho de 8 anos AINDA não sabia fazer um aviãozinho de papel (direito)! Nossa que infância é essa??! Que mãe desnaturada que não fez aviões de papel com os filhos???!!! Cecília ensinou pro irmão como fazer direitinho! :)
 Os poemas foram escritos por eles mesmos. Este é da Ceci.
 Este do Cássio... 
Foram dobrados e 20 aviões foram feitos. Na parte de fora de cada avião escrevemos: BOA TARDE (já que aprendemos, no livro do post anterior, que para os franceses BONJOUR é uma palavra sagrada da boa educação).
 Enchemos duas sacolinhas com eles e fomos passear pela cidade... espalhar poemas!
 Descobrimos que várias casa antigas não possuem caixas de correio, embora nas maçanetas esteja escrito CARTAS ou CORREIO, elas não abrem mais. Então o jeito foi empurrar pra baixo das portas um aviãozinho de: "Boa tarde, aqui tem um poema pra alegrar seu dia!" Alguns foram entregues em mãos, para pessoas que passavam, ou que estavam trabalhando em estabelecimentos comerciais. As crianças adoraram! 

E você? Já leu um poema para alegrar seu dia hoje?


Queria ter postado ontem. Estava louca pra contar sobre o livro!
Mas como sou de Santa Maria-RS, preferi ficar em silêncio. Embora eu tenha muitos parentes e amigos, não perdi ninguém que conhecia, Graças a Deus.

Ao receber, folhei o livro e imediatamente me deu uma vontade louca de começar a lê-lo. Acabei ás 3 da manhã! Devorei-o entre fazer almoço, janta, ser interrompida umas dezena de vezes pelas crianças (solicitando coisas), lanche e paradas para escrever no Face que recomendava urgentemente a leitura dele para algumas amigas grávidas e com bebês recém nascidos.

ADOREI! Mas, quando terminei-o, fiquei com uma tristeza (lá no fundo) de não ter sabido de algumas das coisas que a autora cita no livro antes de ter tido filhos.

kidsindoors
CRIANÇAS FRANCESAS NÃO FAZEM MANHA - Os segredos parisienses para educar os filhos. PAMELA DRUCKERMAN. Editora: Fontanar, ISBN: 9788539004294

Quando estava grávida procurei livros sobre bebês e gravidez... me indicaram aquele O que esperar... e confesso que achei uma chatice, li 1/3 e abandonei-o. Li vários outros que tb não me recordo o nome e, sendo uma mãe neurótica e obsessiva, tentei juntar todas coisas boas das teoria e fazer uma só pra mim. 

E em todos os livros que li a mãe, assim que o bebê sai da barriga, é automaticamente colocada em segundo, até terceiro plano e a criança ganha o centro do universo. E não só isso: a mãe precisa sacrifica-se em prol da família, em prol da criança (é só ler blogs maternos para ver o quanto as mães deixam de fazer coisas que gostam e precisam - principalmente dormir, cuidar de si mesmas - para que a criança pequena cresça feliz). Como se para criar crianças felizes a mãe precisa NECESSARIAMENTE sofrer e sentir-se culpada por não estar fazendo mais. E eu me incluía nesta categoria até sexta-feira passada, antes de começar a ler este livro.

A autora do livro é uma americana casada com um britânico que mora em Paris. E depois de ter uma filha e passar por mais uma experiência desastrosa num restaurante (criança sem paciência faz birra, come parecendo um tornado e rápido, os pais precisam revezar: um devora a comida enquanto o outro sai correndo atrás da criança que faz zigue-zague entre as mesas, derrubando coisas e gritando - quem nunca presenciou uma cena assim? De seus próprios filhos ou de desconhecidos?) repara como as crianças francesas são pacientes (mesmos os bebês), educados e felizes. Quais os segredos atrás disso? Sendo jornalista de profissão, Pamela decide investigar.

E embora perguntasse para os pais, todos diziam que nada, só estavam educando as crianças. E esse educar é que ela esmiuça para nós, mães e pais desesperados por noites de sono e refeições com comidas quentes! Hehehe!

Não vou contar os "segredos" do livro, porque acho que as mães precisam lê-lo para entender todo o processo e eu resumindo posso esquecer de uma parte importante, mas vou contar algumas partes das coisas que achei mais interessantes (não necessariamente na ordem em que aparecem no livro).

*Primeiro as francesas amamentam pouco, em torno de 2 meses e pouco. Quando o bebê completa 3 meses elas já não amamentam mais e estão de volta a sua forma física de antes da gravidez.... Tudo sem sacrifícios, só "ficando alerta" para o seu próprio corpo.

Antes que me atirem pedras por eu achar isso interessante, e me dizerem que amamentar cria anticorpos e filhos mais saudáveis e coisas do tipo, quero dizer que em minha defesa, que embora meu filho tenha arrancado um pedaço do meu mamilo, por ter uma sucção bem forte, amamentei-o até os 11 meses (e parei porque ele não quis mais) e minha filha até ela ter 1 ano e 3 meses. Mas eu fui amamentada por 1 mês só e sou suuuuper saudável. E mais: meus irmão, embora tenham sido amamentados por bem mais tempo, tiveram várias doenças de crianças, como catapora por exemplo, eu (que mamei no peito tri pouco e embora ficasse junto - dormindo, brincando, tomando banho) não peguei nenhuma!  

E as crianças francesas são muito saudáveis. A autora dá referência de pesquisas sobre saúde dos bebês e crianças francesas o tempos todo. 

*Os bebês, mesmo com 3 , 4 meses dormem a noite toda (SEM QUE OS PAIS PRECISAM DEIXAR O BEBÊ CHORANDO HORAS NEM MINUTOS SOZINHOS NO BERÇO). Eles cientificamente entendem as fazes do sono e ajudam o bebê a aprender a dormir! E essa ideia de que o bebê precisava aprender a dormir é TÃO ÓBVIA que fiquei frustrada por não me dado conta dela há 9 anos atrás.

*Como as mães não amamentam muito, elas conseguem estabelecer, sem sacrifícios para o bebê, horários das mamadas e, por incrível que pareça, os bebês franceses mamam às 8, 12, 16, 20 hrs!!! Sim, 4 refeições por dia, como qualquer outra pessoa da família. Não fiquem alarmadas...  eu fiquei maravilhada com essa capacidade das mães fazerem as crianças se adaptarem a vida da família e não o contrário. Óbvio que isso não é feito radicalmente, tudo respeitando o ritmo da criança. 

* Toda educação é baseada no CADRE, que quer dizer moldura, o ideal francês de educação: "estabelecer limites firmes para as crianças, mas dando a elas grande liberdade dentro desses limites" p.13 Os pais franceses são muito firmes no que diz respeito a educação (concordo plenamente com eles) dizer NÃO é fundamental. O livro diz que todos os seres humanos tem desejos. A birra das crianças vem da vontade que esses desejos sejam atendidos imediatamente e que não devem ser satisfeitos, mas os pais devem ouvir sobre eles e falar sobre eles, e que isso faz toda diferença.

*Não enchem as crianças de atividades extra curriculares, não acham tão importantes. Não estão querendo que os filhos aprendam tudo agora, por que sabe-se lá o que serão quando adultos ou competindo pra ver que criança aprende primeiro a ler, a escrever a falar... todos querem que os filhos desabrochem naturalmente. Sem estimular constantemente. Que a criança tenha o prazer de descobrir-se e descobrir as coisas, sem pressa.

*A criança aprende a brincar sozinha, ela tem tempo de ficar sem ter o que fazer (entediada até) e aprende a entreter-se com o que estiver ao seu redor. E isso é bom. 

Eu sempre, sempre fiquei com as crianças (deixei de trabalhar fora e de terminar minha pós graduação). E ficar de estar sempre presente, sempre junto lendo, fazendo alguma coisa interessante para elas, estimulando-as sempre. A maior reclamação da minha mãe é que meus filhos não sabiam ficar sozinhos. E agora li no livro o porque de deixar a criança ter seu tempo e de como isso mais tarde é importante para a saúde mental dos pais também!

*As mães não surtam em pracinhas, gritam e correm atrás dos filhos (com eu faço muitas vezes, confesso). Há uma forma diferente de falar com crianças. Os termos usados são outros. Os pais não dizem: NÃO FAÇA ISSO. Dizem: "-Você não tem o direito de fazer isso." Eles ouvem este tipo de frase desde pequenos, assim como ouvem: "-Você tem o direito de brincar, o direito de fazer tal coisa..." Esse tipo de frase mostra pra criança que ela vive em grupos onde outras pessoas também possuem desejos, vontades e necessidades. Gostei muito destas frases. Pretendo incluí-las mais, de agora em diante. 

Uma das coisas que fiz intuitivamente e que os pais franceses também fazem:

*Desde que meu primeiro filho nasceu eu estabeleci que ele teria hora pra ir pro quarto e não sair mais, a noite. Quando ele completou 2 meses de vida, comecei a colocá-lo na rotina da noite. Banhos sempre no mesmo horário, historinha, mamada e depois silêncio total na casa, até ele pegar no sono. E depois de 1 mês, às 20hrs ficou estabelecido como o horário que ele naturalmente dormia e não saia mais do quarto (embora eu entrasse lá centenas de vezes durante a noite, para dar mamadas, trocar fraldas e fazê-lo dormir de novo e de novo e de novo). E isso acontece ainda hj. 20hrs, banho, 20:30 história e cama. Nas férias ficam um pouco mais. E lá na França também fazem isso em prol da saúde do casal. Os pais precisam de um tempo só deles para manter o casamento vivo. E eu concordo. Hora dos adultos. Rotina é fundamental na vida de uma criança, dá mais segurança à ela.

 
O livro também fala de muitas outras coisas como escola, alimentação, a importância da mãe ter tempo só dela, e de se ver como mulher sempre, não algo a parte. De como as crianças francesas aprendem a ter paciência e a esperar. Fala também da importância do cumprimentar-se, do viver em sociedade, sempre comparando a vida francesa com a americana (e diria até brasileira porque muitas coisas são parecidas). Tem muitas e muitas outras partes muito interessantes e valiosas, mas o post já está enorme! Ficaria escrevendo por horas!

Não sei se os pais franceses REALMENTE são assim, mas gostei muito do livro, uma leitura gostosa e com informações realmente úteis.

Meu livro está todo rabiscado, li-o com um lápis na mão, sublinhando as partes que deveria ter feito, colocando asteriscos nas que fiz (intuitivamente), além de passagens que concordo plenamente. E algumas anotações minhas complementares. Não vou ter mais filhos, mas ainda dá tempo de tentar corrigir algumas coisas, principalmente na parte de alimentação! E a minha irmã e cunhadas ganharão exemplares, assim que engravidarem! Podem esperar!

#Recomendo muito!  




 Olá pessoal. 
Estamos (blogs voluntários e o meu blog) aqui para divulgar, mais uma vez, a ação do DIA INTERNACIONAL DA DOAÇÃO DE LIVROS.
Estamos aqui pra convidar você a dividir e compartilhar, sua história: de como você irá comemorar o Dia Internacional da Doação de Livros.

O Dia Internacional da Doação de Livros é uma iniciativa voluntária que visa aumentar o entusiasmo e acesso das crianças aos livros. Estamos convidando as pessoas para celebrar o Dia Internacional da Doação de  Livros dia 14 de fevereiro:
 
1. Dar um livro a um amigo ou membro da família,  

 2. Deixando um (ou mais) livro em uma sala de espera para as crianças lerem
ou 
IBGD
3. Doar um livro usado (mas em bom estado) a uma biblioteca local, hospital, abrigo ou a uma ONG que distribui livros usados ​​para comunidades carentes.
O Dia Internacional da Doação de Livros é um dia maravilhoso para as crianças participarem dando e receberendo livros.  As crianças podem escolher um livro favorito e secretamente deixá-lo em uma sala de espera; participar de uma troca de livros entre amigos e colegas; escolher livros que não leem mais e doá-los para outras crianças; recolher livros e doar uma caixa cheia para uma escolinha ou biblioteca de bairro; etc...

Uma das coisas que torna o Dia Internacional da Doação de Livros especial é que é uma mobilização mundial, onde podemos nos conectar com outras pessoas, espalhadas ao redor do globo, que também estão doando livros para crianças! E em função disse vamos ajudar a agrupar, conectar e compartilhar essas histórias de doações fazendo um post LINK UP!

Para participar:

1. Escreva um post descrevendo como você comemorou Dia Internacional da Doação de Livros! Pode ser um post curto e doce, por exemplo: uma foto de você ou seu filho deixando um livro em uma sala de espera!

2. Dia 21 de fevereiro, ou logo após, adicione o link do seu post no meu blog ou em qualquer do blogs dos voluntários participantes:
 Todos os links das histórias sobre como pessoas celebraram o Dia Internacional da Doação de Livros Dando estará disponível em todos esses blogs (acima). O post com os links permanecerá ativo nos blogs até 21 de março de 2013.

Para quem não tem blog:
Convidamos você à compartilhar fotos via Instagram ou Twitter, adicionando a hastag #giveabook. Você também pode enviar suas fotos para  Amy (ponto) broadmoore (arroba) gmail (ponto) com, e vamos compartilhá-los AQUI no site do Dia Internacional da Doção de Livros no dia 21 de março, também.

Você pode ver como os outros, ao redor do mundo, estão comemorando essa data especial:

1. Fotos do Instagram e tweets marcados com  #giveabook

2. Olhando as fotos e histórias que compartilharemos aqui no (e do) Dia Internacional da Doação de Livros e no site


3. Lendo e compartilhando as histórias de doação do livros de outros blogueiros.

Fique a vontade para copiar esse post e as imagens contidas nele (com os créditos) para a divulgação da data.
 




Faz um tempinho já que não posto os livros que estamos lendo...

Não paramos, não. Estamos envolvidos na ação do Dia Internacional de Doação de Livros que irá acontecer mês que vem... pra você saber mais, veja AQUI.

A CASA NA ÁRVORE de MARIJE TOLMAN e RONALD TOLMAN. Editora: Brinque-Book. ISBN: 9788574124063.
O livro surgiu como uma brincadeira de pai e filha. 
É um livro sem palavras... onde a história já começa na capa.
Ele ganhou vários prêmios no exterior.
 Os amigos ursos chegam de baleia e barco, num casa na árvore, no meio do mar (lago, rio?).
E a medida que a maré vai baixando...
 os outros amigos vão chegando...
 para brincar também.
 Livro lindo para sonhar e inventar histórias.

E nesse livro-brincadeira o legal é que a árvore é sempre a mesma o que muda é o clima, as estações, a companhia, o pano de fundo. 
E baseado nisso, nós fomos fazer nossa árvore também. Comprei carbono azul e coloquei entre algumas folhas A4.
 Para que todos os desenhos saíssem iguaizinhos.
 Pena que não tirei foto do rosto de espanto do Cássio. Esqueci que eles não conheciam carbono! Foi um "UAU!" maravilhoso. Às vezes me esqueço das ´tecnologias` mais antigas e simples e como encantam as crianças.
O resultado:
 Trabalho em equipe.
  Outono e verão.
 Primavera e inverno.

Como é a sua casa na árvore?





Eu não sei como são as férias de vocês, mas uma semana depois do fim das aulas, começam os TEMAS DE FÉRIAS aqui em casa. Na escolinha da ("Tia") Gi! Hehehe!

Para que as crianças não fiquem tão desacostumadas a estudar, eu faço uns exercícios para elas, num caderno velho, como: 
Escrever palavras começando e terminando com uma certa letra.

Contas de matemáticas simples e algumas mais complexas. Dou uma olhada nos livros escolares que eles vão usar na escola este ano, para saber o que eu posso exigir deles.

Exercícios sobre tempo e calendário.
 Além de ditados e 

caligrafia. 
Este livro de atividades comprei num sebo, é o livro do professor, então algumas coisas já vieram feitas da gráfica, mas dá é ótimo igual.
Outra coisa que eles precisam fazer, todos os dias, é LER EM VOZ ALTA pra mim. Pode ser um livro pequeno, um capítulo, ou conto, ou fábula. Se o livro  for meio grande, eles o lêem em dois dias, se for maior, vamos lendo devagar até terminá-lo. Assim, vão habituando-se com as pausas, entonações e a velocidade de leitura. Além de aprenderem o português e ouvirem uma boa história.

E também precisam tocar teclado, repassar toda apostila do ano, uma ou 2 vezes depende da empolgação deles.

Não há horário fixo, eles precisam fazer antes da hora do banho, que é às 20:30. Decidem quando e onde fazer e me mostram para ver se está tudo certinho, senão, precisam refazer. Sem dramas... tudo num ritmo de brincadeira!

Eu brinco de escolinha com meus filhos nas férias, e você?




Recebemos uma dica super quente de uns amigos... e quero passar para vocês também.

Agora que moramos na fronteira, com o Uruguai, resolvemos explorar bem o país.
Todos os anos, a partir de dezembro, começa o Festival MEDIO Y MeDIO, lá em Punta Ballena. 

AQUI tem o site deles, como toda programação deste ano.

É um encontro ma-ra-vi-lho-so de músicos uruguaios, argentinos e brasileiros, num espaço para mais ou menos 200 pessoas ao ar livre. 
Você fica beeeem pertinho dos seus artistas favoritos! Aqui Jaime Roos, um show que fez o público levantar e dançar! As crianças pulavam muito aqui!*
Jorge Drexler... intimista e maravilhoso, pra cantar junto e ficar grudadinho no seu amor!
Ruben Rada: tango, candombe, pop e murga, tudo junto e misturado! Ele cantou, inclusive, músicas do seu último CD para crianças!
Todos os shows estão programados para começarem às 22:30, mas eles só começam de verdade às 23 horas e duram mais ou menos uma hora e meia... Mas todos chegam cedo, por que você, ao comprar o ingresso, escolhe a fila que quer sentar, mas não o lugar. Então, quanto mais cedo você chegar, mais fácil de pegar o lugar que você realmente quer. E a casa fica cheia, cheia, com gente querendo entrar na porta! 

Eu disse, mais ou menos uma hora e meia porque às vezes o clima é tão bom, que o artista fica tão empolgado que estende a apresentação. O do Jaime Roos e do Jorge Drexler foram duas horas e pouco de música cada! Muito legal.

*Crianças dos outros... Eu não levei as minhas crianças, porque não sabia que podia. Mas é um local bem família. Encontramos crianças bem pequenas de 2 anos, 5, 9, 12... adolescentes, adultos e idosos. Muitos avós e netos juntos e famílias inteiras com crianças, adolescentes, adultos e idosos curtindo a boa música juntos. Na próxima vez, com certeza, levaremos as crianças. Inclusive no show do Jorge Drexler, entre uma música e outra, um menino de uns 5 anos gritou o nome de uma música e o artista falou que não tinha ensaiado ela, mas como era uma criança pedindo, eles iam tocar pra ela (e para todos) assim mesmo, sem ensaio! Show! 

Recomendamos muito!

E a tarde, antes dos shows, você pode curtir 
as praias (existem várias muito lindas) com a família (mesmo no alto verão, existem praias praticamente desertas!),
até as 21 horas, que ainda tem sol!!!

:) FOI SHOW!